Por quê estou vendo anúncios no DCO?

Golpes na América latina

Peru não consegue sair da crise política e social após o golpe

A maioria dos peruanos pede, em primeiro lugar, a demissão de Boluarte, convocação de novas eleições e referendo para uma assembleia constituinte o mais rapidamente possível

Quatro meses passaram desde o impeachment do presidente Pedro Castillo, eleito democraticamente nas urnas, e a crise política e social continua dominando o Peru, onde os protestos não cessam desde sete de dezembro passado e são reprimidos com força.

Dina Boluarte, vice de Castillo, e juramentada como presidente pelo Congresso para completar o atual período de governo até 2026, não consegue garantir a estabilidade. Além disso, seu governo é responsável pela morte de uns 60 manifestantes.

Boluarte compareceu em março passado perante a Procuradora-Geral da nação, Patrícia Benavides, no marco da investigação por genocídio, homicídio e ferimentos graves em participantes dos protestos. A verdade é que até agora nenhum mandante ou executor dessas mortes foi julgado.

O presidente da Assembleia Nacional de Governadores, Rohel Sánchez, representantes da Igreja Católica e parentes das vítimas exigem que esses crimes não fiquem impunes.

Houve centenas de prisões arbitrárias, ocupação de sedes de organizações rurais e de partidos políticos e os militares chegaram a invadir a Universidade Maior de San Marcos, em Lima, a capital.

Os pedidos dos manifestantes são totalmente ignorados: liberdade para Castillo, que cumpre 36 meses de prisão preventiva por supostos delitos de corrupção, que nega o ex-presidente, e insiste em que está “sequestrado injustamente”.

A maioria dos peruanos pede, em primeiro lugar, a demissão de Boluarte, convocação de novas eleições e referendo para uma assembleia constituinte o mais rapidamente possível.

Todavia, Boluarte se recusa a deixar o cargo e no Congresso não prospera acordo para adiantar as eleições que abriria o caminho para o fim da atual crise.

O órgão legislativo fragmentado, mas com poder para promover impeachment por incapacidade moral, é rejeitado por 9 de 10 peruanos.

Pesquisa de opinião publicada no final do mês passado pelo Instituto de Estudos Peruanos revela que 78 por cento dos entrevistados reprovam o governo de Boluarte e 91 por cento o Congresso.

Desde 2016, Peru vive na instabilidade política e social. Ao longo de seis anos o país teve seis presidentes e nenhum deles conseguiu resolver a crise.

Fonte: Rádio Havana Cuba

*Os artigos aqui reproduzidos não expressam necessariamente a opinião deste Diário

Gostou do artigo? Faça uma doação!


Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.