Por quê estou vendo anúncios no DCO?

Disputa Eleitoral

Quem votou 22 não é “gado” e precisa ser ganho pela esquerda

O eleitorado de Bolsonaro representa cerca de um quarto da população brasileira, parcela que, ao invés de ignorada, deve ser disputada pela esquerda


O primeiro turno das eleições de 2022 produziu um saldo no mínimo inesperado para a esquerda pequeno-burguesa que, cega pela política do “já ganhou”, acreditava que Lula venceria o pleito sem a necessidade de uma segunda votação. Entretanto, muito pelo contrário, o ex-presidente, apesar de permanecer em primeiro lugar, terminou a corrida com 48,43% dos votos. Enquanto isso, o segundo lugar, Bolsonaro, angariou 43,20% dos eleitores que compareceram às urnas.

Ou seja, Lula não só não ganhou, como recebeu uma votação muito similar à de Bolsonaro. Resultado que, diga-se de passagem, desbancou a imensa maioria das pesquisas eleitorais da imprensa burguesa que, para desmobilizar o PT, apontavam à vitória de Lula no primeiro turno.

A esquerda pequeno-burguesa, seguindo sua “tradição” dos últimos 4 anos, continuou a chamar os eleitores e, de maneira geral, a base de Bolsonaro de “gado”. Uma alusão ao entendimento equivocado de que trata-se de um grupo facilmente manipulável, tal qual um bando de animais.

Fato é que, se traduzirmos a porcentagem de votos que Bolsonaro recebeu para um número de eleitores, temos que o atual presidente obteve 51.072.345 votos, cifra que representa cerca de 25% da população brasileira e 32% do eleitorado nacional. Uma parcela que, consequentemente, não pode ser simplesmente ignorada.

Caso contrário, a esquerda estaria abandonando uma parte muito expressiva da classe operária brasileira. E que tipo de política progressista é essa que desconsidera um quarto da população? Simplesmente não condiz com uma conduta que diz defender os interesses dos trabalhadores.

Nesse sentido, todos aqueles que votaram em Bolsonaro, seja agora, seja no passado, não podem ser chamados de “gado” e, consequentemente, excluídos de qualquer tipo de luta política da esquerda. Afinal, apoiam Bolsonaro em decorrência de um fenômeno político, e não de algum tipo de idiotice, tal qual aponta a esquerda.

Acima de qualquer julgamento moral, é uma parcela da população que deve ser disputada e efetivamente ganha para o lado de Lula. São trabalhadores, em sua maioria, como qualquer outros. O único problema é que foram abandonados pela esquerda e, negando a política da direita democrática – leia-se imperialismo -, encontraram-se nos braços de Bolsonaro.

Para realizar esse resgate, entretanto, é preciso disputar o voto de Bolsonaro da maneira correta, ou seja, tratando das questões que verdadeiramente têm importância para a classe operária: fome, melhorias salariais, emprego, privatizações, liberdade de expressão, moradia, terra etc.

Finalmente, Bolsonaro, apesar do discurso demagógico, é um inimigo dos trabalhadores que, durante seu governo, trabalhou para retirar-lhes cada vez mais direitos. Basta, portanto, provar e convencer seus eleitores que essa caracterização está correta. Que, ao invés de Bolsonaro, devem apoiar Lula, o candidato que verdadeiramente representa os interesses da classe operária no Brasil.


COTV

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.