Por quê estou vendo anúncios no DCO?

Cúpula EUA-África

Imprensa chinesa ironiza papel imperialista dos EUA na África

"É bom que os EUA, como o país mais desenvolvido do mundo, ajudem a África a se desenvolver"


– China Radio International – Entre os dias 13 e 15 deste mês, foi realizada a 2ª Cúpula EUA-África em Washington. O presidente estadunidense, Joe Biden; o secretário de Estado, Antony Blinken, e o secretário de Defesa, Lloyd Austin, participaram do evento, bem como os líderes de 49 países africanos e da União Africana. A declaração da Casa Branca dizia que a cúpula ressaltava o compromisso dos Estados Unidos de aprofundar seu relacionamento com a África. O governo de Biden também planeja investir pelo menos 55 bilhões de dólares na África nos próximos três anos. 

No entanto, a reunião de três dias terminou em meio a controvérsias e “déficit de confiança”. Desde o final da Segunda Guerra Mundial, os EUA relegaram a África às margens da sua estratégia global. Nos últimos anos, as relações EUA-África têm se deteriorado ainda mais. O ex-presidente norte-americano Donald Trump nunca visitou a África durante seu mandato e usou uma linguagem desagradável para descrever os países africanos, o que foi fortemente condenado no continente. Durante a pandemia, os Estados Unidos estocaram grande quantidade de vacinas, enquanto enviaram as quase vencidas para a África, o que foi criticado pelos países do continente como uma falsa “caridade”. Agora que os norte-americanos mudaram de repente sua atitude e afirmaram valorizar a África, é difícil para o povo africano não duvidar da sinceridade dos EUA. 

A África está passando pela transição de uma economia tradicional para uma economia baseada no conhecimento, que necessita urgentemente de investimentos significativos para explorar seu potencial de desenvolvimento. É bom que os EUA, como o país mais desenvolvido do mundo, ajudem a África a se desenvolver. Mas, como muitos analistas têm apontado, a razão pela qual eles lançam seu olhar na África não é questão de consciência, mas principalmente considerações geopolíticas.

De fato, existe uma enorme distância entre o que os EUA dizem e o que realmente fazem em termos de ajuda à África. Alguém se pergunta se os EUA podem cumprir primeiro seus compromissos anteriores com a África? Na primeira cúpula EUA-África em 2014, o então presidente estadunidense, Barack Obama, se comprometeu a aumentar os investimentos no continente, incluindo o financiamento para combater a Aids, entre outras coisas. Mas mais tarde, o governo americano cortou a assistência financeira aos programas africanos de prevenção e tratamento da Aids e reduziu outros projetos de ajuda à África. Oito anos depois, os compromissos do governo de Biden com a África também são questionáveis. 

O que é mais necessário para a África no momento é a ajuda sincera das grandes potências. Os EUA devem realmente respeitar a África e fazer coisas mais concretas para o continente.

* Os artigos aqui reproduzidos não expressam necessariamente a opinião deste Diário

Gostou do artigo? Faça uma doação!


COTV

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.