Por quê estou vendo anúncios no DCO?

Pedindo penico

Crise na Ucrânia faz EUA dobrar-se à Venezuela

Delegação norte-americana visita Venezuela pela segunda vez para tentar resolver crise com abastecimento russo


Pela segunda vez só neste ano, uma delegação dos Estados Unidos foi até à Venezuela para se reunir com o presidente do Parlamento venezuelano, Jorge Rodriguez, nessa última segunda-feira (27). A informação veio do próprio presidente venezuelano Nicolas Maduro (chamado, durante anos, de ditador pelos ianques), que garante uma continuidade dessa agenda bilateral entre os EUA e seu país.

Tal cenário mostra como a situação crítica está encurralando cada vez mais o imperialismo. Vemos agora um aumento constante nos preços dos barris de petróleo. Um feito colateral da política de embargos que os EUA, junto com a Europa e o Japão, tentam impor à Rússia desde pelo menos 2014, e que se intensificou depois do início do conflito na região ucraniana do Donbass, quando a Rússia decidiu se juntar às forças de resistência dos povos de Lugansk e Donetsk.

A primeira viagem que a delegação norte-americana realizou à Venezuela foi no dia 05 de março, o que colocou por terra os anos de propaganda anti-chavista que o país e seu povo sofreram ao longo de décadas. Na ocasião dessa primeira viagem, a reunião foi com o próprio presidente Maduro e com Rodriguez, no palácio presidencial na capital Caracas. Após a reunião, foram retomados os diálogos outrora suspensos, e algumas sanções de petróleo contra as petroleiras do país de Maduro foram suspensas, permitindo, por exemplo, que a Chevron comece a negociar com a PDVSA, além de duas empresas europeias poderem enviar petróleo venezuelano pra Europa.

Apesar disso, a posição oficial do Governo Biden perante o Governo venezuelano permanece a mesma desde a era Trump, que em 2019 reconheceu Juan Guaidó como “presidente interino”. Segundo os dados da OPEP, cerca de 717 mil barris de petróleo são produzidos na Venezuela por dia, e, com o aval da Chevron, tal produção pode subir até 1 milhão/dia. O presidente Maduro ainda sinalizou, nessa segunda-feira (27), estar de portas abertas para que empresas francesas produzam petróleo e gás em seu país, revelando que está disposto a ampliar sua política bilateral, agora cada vez mais multilateral, conforme os países membros do imperialismo se veem cada vez mais desesperados com a possibilidade de não terem petróleo e gás suficientes num futuro próximo.

Segundo oficiais franceses em última reunião do G7, que vem acontecendo desde o último domingo (26), “há um nó que precisa ser desfeito, se for possível, para trazer o petróleo iraniano ao mercado. Há o petróleo venezuelano, que também precisa voltar ao mercado”. Ou seja, o imperialismo está economicamente se inviabilizando a cada dia. A guerra da Ucrânia só nos mostra como podemos explorar essa fraqueza e expandi-la. O papel de Maduro, como estadista e representante da burguesia nacionalista latino-americana, deve ser o de explorar a situação e tentar garantir o melhor proveito de seu país, enquanto americanos e europeus sangram.


COTV

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.