Por quê estou vendo anúncios no DCO?

Jonas Carreira

Militante do Partido dos Trabalhadores (PT) no Distrito Federal. Historiador e autor no site Jovens Cronistas.

Geopolítica mundial

Argentina apoia multipolaridade, Brasil interesses do latifúndio

A China e a Argentina firmam acordos projetando um futuro geopolítico multipolar, onde os países ajudam um ao outro, sem tirar vantagens econômicas e militares


Enquanto Bolsonaro coloca-se em cima do muro diante dos acontecimentos na Ucrânia para proteger os fertilizantes dos latifundiários, a Argentina, recentemente, assinou um acordo com a China para incorporação da Rota da Seda; projeto econômico ousado que tem como objetivo bater de frente com a atual geopolítica unipolar, liderada pelos Estados Unidos.

Os acordos incluem: economia digital, tecnologia e inovação, agricultura, ciências e energia nuclear. Além disso, Xi Jinping disse que a China está disposta a viabilizar projetos para canalizar direitos especiais de saque junto ao FMI. Alberto Fernández disse que “a decisão da China, de incentivar um maior uso de moedas nacionais no comércio e investimento, e de apoiar a demanda da Argentina pela revisão da política de sobretaxa do FMI, são avanços cruciais”. Neste acordo a Argentina receberá financiamento em duas parcelas, uma inicial de 14 bilhões de dólares, divididos em dez projetos de infraestrutura e a segunda de 9,7 bilhões.

A China e a Argentina firmam acordos projetando um futuro geopolítico multipolar, onde os países ajudam um ao outro, sem tirar vantagens econômicas e militares. O país asiático diz que seus investimentos na Argentina serão focados para setores estratégicos: energia e eletromobilidade. Com isso, a China torna-se o primeiro país fora do MERCOSUL a fazer acordo com a Argentina.

O gigante asiático, com esta parceria consolida ainda mais sua presença dentro da América Latina. Essa presença e a inclusão de uma diplomacia multipolar preocupa o imperialismo, que há 2 séculos vem perpetuando sua diplomacia com acordos maléficos dentro do sul globalizado. Isso nos mostra a crise que o imperialismo vem passando, depois de influenciar governos párias, depredando com golpes as economias dos países, agora o império começa a perder sua presença naquilo que eles chamam de quintal.

Essa aproximação da China com a América Latina foi causada pela política isolacionista de Donald Trump. Enquanto ele isolava os Estados Unidos do mundo globalizado, a China criava caminhos de aproximação com outros países. Hoje, sem Trump no poder, sobrou somente o seu pária aqui no Brasil, isolado diante de um possível crescimento progressista na América Latina. Recentemente o inepto Presidente do Brasil se aproximou de Putin e teve que se colocar fora das criticas do mundo ocidental contra a Rússia. A atitude deste despresidente foi uma mera situação regionalista para defender o poder dos velhos latifundiários do país, nada que realmente traga algo de relevante para o país e muito menos que nos coloque como peças principais na geopolítica multipolar. Portanto, continuamos sendo párias regionais e até mesmo submissos a uma nova concepção de mundo.

* A opinião do colunista não reflete necessariamente a posição deste jornal

Gostou do artigo? Faça uma doação!


COTV

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.