Por quê estou vendo anúncios no DCO?

Universidade Marxista

2º módulo do curso de história do Brasil começa na próxima semana

Não perca tempo e inscreva-se agora mesmo para estudar, do ponto de vista verdadeiramente marxista, sobre a história do Brasil


O segundo módulo do curso de História do Brasil, realizado pelo Partido da Causa Operária na pessoa de Rui Costa Pimenta, já tem data para começar. Dia 19 de julho tem início o do módulo “Brasil, 500 anos de história – Um império tropical”. Quer dizer, faltam apenas sete dias para o início da discussão mais polêmica e esclarecedora sobre a história do Brasil que pode ser vista nos dias de hoje. Nesse sentido, não perca tempo! Inscreva-se já no curso no site da Universidade Marxista.   

Saiba a história que a escola não conta

O curso “Brasil, 500 anos de história” está organizado em quatro módulos que estão sendo realizados em todo o ano de 2022. Ele tem o objetivo de esclarecer o maior número de pessoas possível sobre a realidade da história brasileira. Muito diferente de um país secundário, o curso vai mostrar que o Brasil é um dos países mais importantes da história mundial. Sua formação e desenvolvimento influenciaram na própria formação do capitalismo tal como ele é hoje. Desde as grandes navegações portuguesas, que expandiram os territórios conhecidos pela civilização, até o desenvolvimento econômico que os produtos brasileiros trariam para Portugal e Inglaterra, promovendo a aceleração das atividades comerciais em toda a Europa.  

O Brasil, único país que se tornaria sede da metrópole, foi a alternativa de Portugal a luta armada com a Napoleão no Bloqueio Continental. Esse fato não pode ser subestimado, pois foi um dos elementos principais da unidade territorial do país com dimensões continentais que tem hoje. Nesse sentido, também, é preciso salientar a importância da ação dos Bandeirantes, brasileiros nascidos na terra e descendentes de índios, que desbravaram de norte a sul do país, sendo responsáveis pelo rompimento do Tratado de Tordesilhas, que reduzia a terra portuguesa a uma pequena quantidade de terras na costa. É importante dizer que foram poucos os exemplos na história da humanidade em que uma pessoa como Fernão Dias, andasse mais de 10 mil quilômetros, em meio a mata fechada, para chegar do Sul à Amazônia. 

Entenda o Brasil de Lutas sociais e grandes feitos

No último sábado, o companheiro Rui Costa Pimenta comentou na Análise Política de Semana sobre alguns acontecimentos da história brasileira que mostram o caráter de luta do povo brasileiro. Um dos fatos foi o movimento de libertação nacional realizado na Bahia no dia 2 de julho de 1823, dia em que o povo baiano obteve vitória, com auxílio das tropas de Dom Pedro I, contra exércitos lusofílicos que se opunham à independência brasileira de Portugal. Esse acontecimento foi apenas um exemplo da série de lutas do povo brasileiro contra os inúmeros levantes de portugueses em solo nacional, os quais se opunham à independência. Isso mostra que a independência brasileira teve sim lutas, as quais só não foram maiores pela unanimidade com que ela se impunha. No sudeste, por exemplo, as manifestações contrárias foram tão rapidamente sufocadas, que sequer houve grandes batalhas. Esse e outros temas serão debatidos nó módulo dois do curso.

Junte-se a luta pelo Brasil

É conhecida a campanha feita nas escolas e, mesmo pela esquerda, contra a história nacional. São insultos aos dirigentes da nossa história, afirmações falaciosas dizendo que o país é feito e um povo fraco e dominado por uma elite que sempre dá um jeito de manter a sua dominação intacta. Há quem critique também elementos como os Bandeirantes, chamando-os de genocidas do povo indígena, sendo a sua real história mais aproximada da violência que já existia na disputa entre as tribos indígenas que uma violência de um povo dominador. A maioria dos bandeirantes tinha descendência de índios. 

São inumeráveis as críticas ao Brasil e poucos os elogios. É preciso afirmar que essa campanha contra a nação brasileira advém da propaganda imperialista sobre as esferas nacionais. Uma propaganda que objetiva o entorpecimento da luta nacionalista frente a dominação do imperialismo no pais. Afinal, um povo descrente do seu próprio país é um povo facilmente dominável. 

Um curso ministrado por Rui Costa Pimenta

Por fim, mas não menos importante, é preciso salientar o fato de que o curso será ministrado pelo companheiro Rui, presidente do Partido da Causa Operária, e reconhecido por seu vasto conhecimento da história e da política nacional e internacional. É uma oportunidade de poder assistir às suas aulas e ter as perguntas respondidas em tempo real por essa importante figura política.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.