Por quê estou vendo anúncios no DCO?

Irredutíveis

Ucrânia ameaça desistir de negociações de paz com a Rússia

O presidente do país nomeou as 'linhas vermelhas' de Kiev


─ RT , Tradução DCO ─ O presidente ucraniano Volodymyr Zelensky revelou no sábado que tipo de eventos podem forçar seu país a se retirar das negociações de paz com Moscou.

Durante uma coletiva de imprensa realizada em uma das estações de metrô de Kiev em meio à ofensiva russa em andamento na Ucrânia, Zelensky foi questionado sobre como Kiev responderia a potenciais referendos de independência nos territórios controlados pelas forças russas. O presidente insistiu que isso o forçaria a interromper qualquer conversa com Moscou.

“ Se nosso povo for destruído em Mariupol, se um referendo, um pseudo-referendo, for anunciado em qualquer nova pseudo-república da Ucrânia, a Ucrânia se retirará de qualquer processo de negociação”, disse Zelensky.

Dois dias atrás, Moscou anunciou a captura de Mariupol. No entanto, o presidente Vladimir Putin cancelou o ataque à fábrica Azovstal, que continua sendo o último reduto das forças ucranianas, incluindo os combatentes do regimento neonazista Azov, na cidade portuária estratégica. As tropas russas devem ” selar a área para que uma mosca não possa passar”, ordenou Putin. Zelensky, por sua vez, admitiu que no momento a Ucrânia não é capaz de recapturar militarmente Mariupol e que os combatentes escondidos lá estão cientes disso.

Zelensky reiterou seu desejo de realizar conversas diretas com Vladimir Putin, pois “a guerra pode ser interrompida pela pessoa que a iniciou”. Ele explicou que, como ele pensa, as negociações diretas podem ser uma maneira mais eficaz de alcançar a paz do que falar por meio de mediadores.

“Quero parar a guerra e acabar com ela. Há um caminho diplomático e um militar. Qualquer pessoa saudável escolhe o caminho diplomático porque sabe que, mesmo que seja difícil, pode evitar a perda de milhões de pessoas”, disse Zelensky.

Putin, por sua vez, não descartou um encontro pessoal com Zelensky, mas ressaltou que isso dependerá do andamento das negociações entre as equipes de negociação.

Comentando sobre a próxima visita do general de segurança da ONU Antonio Guterres a Moscou, Zelensky afirmou que não é lógico que ele viaje para a Rússia antes de falar com Kiev, mas o líder ucraniano expressou sua disposição de conduzir conversas com Guterres também.

As condições da Ucrânia para um acordo de paz, segundo Zelensky, permanecem as mesmas: garantias de segurança para Kiev e “o destino de Donbass e Crimeia”, cuja independência Kiev se recusou categoricamente a reconhecer.

“Acho que não há mais problemas” , disse ele.

Enquanto isso, disse Zelensky, as forças ucranianas continuarão lutando e, dependendo do fornecimento de armas do Ocidente, estarão recapturando territórios que foram capturados pelas forças russas.
“ Minha posição como presidente é: o que quer que eles [as forças russas] ocupem, nós retornaremos. Não será uma questão de 8 anos, como a partir de 2014, será imediato. Isso é uma questão de armas. Se tivermos o suficiente, começaremos imediatamente a recapturar o território ocupado ”, disse ele.

A Rússia advertiu repetidamente a OTAN contra o envio de armas para a Ucrânia e declarou que consideraria os comboios de armas como alvos militares legítimos. Também diz que “ bombar ” a Ucrânia com armas só levará a mais baixas.

Desde o lançamento da ofensiva militar da Rússia na Ucrânia, Moscou e Kiev acusam-se mutuamente de dificultar a evacuação de civis, além de cometer crimes de guerra e violar o direito internacional. Várias rodadas de negociações de paz não produziram nenhum progresso significativo.

A Rússia atacou o estado vizinho no final de fevereiro, após o fracasso da Ucrânia em implementar os termos dos acordos de Minsk, assinados pela primeira vez em 2014, e o eventual reconhecimento de Moscou das repúblicas de Donbass de Donetsk e Lugansk. Os protocolos de intermediação alemã e francesa foram projetados para dar às regiões separatistas um status especial dentro do estado ucraniano.

Desde então, o Kremlin exigiu que a Ucrânia se declarasse oficialmente um país neutro que nunca se juntará ao bloco militar da Otan liderado pelos EUA. Kiev insiste que a ofensiva russa foi completamente espontânea e negou as alegações de que planejava retomar as duas repúblicas pela força.


COTV

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.