Por quê estou vendo anúncios no DCO?

Roberto França

Militante do Partido da Causa Operária. Professor de Geografia da Unila. Redator e colunista do Diário Causa Operária e membro do Blog Internacionalismo.

Fusão: PIG com "progressistas"

O PIG engordou

Liberdade de imprensa e de opinião é luta histórica da esquerda internacional, mas a esquerda conferiu todo poder ao servidor público do imperialismo


Sem legenda

O Partido da Causa Operária (PCO) foi incluído no inquérito das “fake news” pelo ministro Alexandre de Moraes, que determinou o bloqueio das contas do Partido nas redes sociais. O PCO ficou sabendo do inquérito pela “Veja” e a notícia se espalhou como rastilho de pólvora. Os inimigos declarados do PCO e grande parte da esquerda “progressista” comemorou (talvez por ver “concorrência” em tudo, são burgueses), outra parte se acovardou.

Sucederam ataques sistemáticos macartistas, rasos e covardes ao PCO, por intermédio de figuras como Mauro Lopes, Lula Costa Pinto, Cynara Menezes, Milton Blay (agora no DCM – dono de um dos materiais mais desonestos que já li, e que merecerá uma coluna para demonstrar a desonestidade de Blay), Kiko Nogueira e sua empresa familiar, além do seu “filhote de cruz credo”, Pedro Zambarda, que já escreveu que vale tudo contra o PCO. A lista é extensa, mas não vou gastar os dedos para denunciá-los aqui no varejo, pois nesta pré-lista tem gente que foi expulsa do “jornalismo profissional de direita” por mentir no “Caso Ibsen Pinheiro”, gente canalha mesmo, que se tornou estudo de caso em universidades de comunicação como referência de mau jornalismo, antiético.

Já denunciamos que o Grupo Prerrogativas, uma das maiores advocacy think tanks do país, tem forte atuação na “imprensa progressista” com explícitas conexões com o imperialismo via Human Right Watch e Open Society, por exemplo, pode estar influenciando a imprensa burguesa de esquerda, a não defender o PCO, e até mesmo atacar o Partido. Canais estão sendo obrigados a descartar a análise revolucionária na grade do canal, que em geral primam pela demagogia, por matérias e reportagens para um setor domesticável de esquerda, reproduzindo alienação, fofocas e conteúdos fúteis de modo geral.

Uma digressão necessária: Monopólios de imprensa

Marx demonstrou que o monopólio está na base da reprodução do modo capitalista de produção. A autoproclamada “livre concorrência” gera a concentração, que a partir de determinado nível de desenvolvimento, leva todas as atividades econômicas ao monopólio, um fato do capitalismo.

Para exemplificar o caso da imprensa, um dos mais importantes protocolos organizados pelo Fórum Econômico Mundial, a fim de dominar a informação em larga escala, foi difundir o termo “fake news”, com forte aparato propaganda, verificações em redes sociais, agências de checagens dos próprios monopólios e colaboração da imprensa progressistas, a fim de tentar impedir que outsiders (segundo a imprensa burguesa tradicional) pudessem utilizar discursos que contrarie os interesses capitalistas. Se a imprensa burguesa tradicional não conseguir controlar as informações inconvenientes para o regime, entram os “deuses do judiciário” como Alexandre de Moraes e Edson Fachin, instrumentos do imperialismo para impedir a atuação de alguns políticos e partidos sem poder econômico para comprar suas decisões.

Nesse contexto, podemos colocar em questão o monopólio da mentira: A Globo, a Folha, o Estadão, “sócios” do Fórum Econômico Mundial, mentem compulsivamente, todos os dias: ajudaram prender Lula, impuseram impeachment da Dilma e sempre mentiram, sempre. A Globo apoiou a Ditadura Militar, apoiou Hitler, assim como o Estadão. Em 1989 chegaram a vestir sequestradores de um grande empresário com a camisa do PT na hora da fotografia para a imprensa. Os grandes veículos de imprensa querem ter o monopólio da mentira, sob chancela do regime político internacional do qual são associados, das instituições policiais, judiciários e dos controladores reais dos países, os bancos.

Com o inquérito das fake news chegando ao PCO, foi vista uma onda de apoio ao Partido, contando com organizações que tradicionalmente temos desavenças como o PSTU e a Esquerda Marxista e também figuras como Breno Altman. Apenas os setores mais pró imperialistas da esquerda e da imprensa progressista como DCM, Fórum sairam em defesa aberta da ditadura do STF.

A visão dessa imprensa progressista, que se acham limpinhos e cheirosos, dizem defender a verdade contra “mentirosos” como o PCO, jogando o Partido para uma “ilegalidade imaginária” mantendo o “monopólio da verdade”.

O inquérito das fake news, demonstrou profundo alinhamento da imprensa progressista às pautas do Fórum Econômico Mundial. O que muda entre a imprensa progressista e a imprensa burguesa tradicional é o candidato apoiado, porém, os mecanismos de apoio a Lula são escusos e ferem a dignidade dos trabalhadores. Tentam criar um Lula “classe média”, um “Lula antioperário”.

O PIG azul e o PIG vermelho: o roxo na classe trabalhadora

Paulo Henrique Amorim denominou Partido da Imprensa Golpista (PIG), todos a imprensa tradicional da burguesia imperialista. Estadão, Globo e Folha que apoiaram Bolsonaro e a Alemanha nazista, assim como a ditadura militar na América Latina etc. são o PIG azul. Agora, com o banimento do PCO, da imprensa que se dizia “independente”, podemos afirmar que existe um PIG vermelho, apoiador do Estado burguês, apoiador do poder judiciário tal como ele é, mas com a ‘sutil’ diferença que dizem apoiar Lula, o que cheira a oportunismo.

Com as eleições que levaram Bolsonaro ao poder, a esquerda ganhou forte impulsionamento nas redes, o que de certa forma acomodou a pequena-burguesia, que passou a usufruir de uma renda permanente para domesticar a esquerda, aproveitando do espólio do Lula, ao mesmo tempo que aceitavam todas as pautas golpistas para fingir luta no regime político. Criaram grandes veículos de imprensa que pautam a mesma coisa que o PIG azul, com exceção de Lula, com isso, tentam transformar Lula em um político da burguesia, a ponto de terem sacado Alckmin da cartola, como num passe de mágica. Como o PCO denunciou as farsas que são a Fórum, o DCM e seus jornalistas egressos do PIG azul, nada mais justo que chamar esses veículos de imprensa de PIG vermelho, capitalistas, empresas familiares com interferência dos seus patrocinadores, muito provavelmente.

Assim como fez Kautsky, um dos maiores oportunistas analisados por Lênin, essa choldra progressista se oportuniza dos indignados, daqueles que rejeitam Bolsonaro, para implantar uma única forma de luta, vencer o atual presidente a qualquer custo, mesmo que para isto tenha que se fazer frentes com bárbaros com gravata e capital, como Geraldo Alckmin, por isso apoiam todo tipo de candidato burguês, como Guilherme Boulos, um suposto defensor dos trabalhadores.

Lenin foi claro em “O Estado e a Revolução”: “Kautsky abandona o marxismo pelo oportunismo; de fato, para ele não se trata de destruir a máquina do Estado, coisa completamente inadmissível para os oportunistas, mas de abrir-lhes, assim, uma brecha que permita interpretar a “conquista” do poder como uma simples aquisição da maioria”. Evidentemente que Lula não significa fim do Estado, mas pode aglutinar trabalhadores em torno de uma luta que impulsione mais do que reformas, mas que coaja a burguesia, coisa que o PIG vermelho está em desacordo, pois estão obtendo lucros de transferência do Google, mesmo que sejam as migalhas.

Por fim, a Fórum, criador do oportunista Fórum Social Mundial

Renato Rovai, dono de empresa familiar de jornalismo, que recebe celebridades de ONGs, que apoiou as Primaveras Árabes, que organiza o “ecossistema midiático”, palavra de ordem dos conglomerados burgueses de imprensa, publicou mais calúnia em seu site de fofocas.

Rovai, agindo como analfabeto funcional, não interpretou a análise de Rui Costa Pimenta como ironia acerca do regime militar, ao mesmo tempo, que Rovai não compreende que o dono da caneta de cancelamento da imprensa é do Moraes, um macartista a serviço do imperialismo. Rovai, como bom abutre, quer manter o Brasil na situação de prejuízo, pois para ele é confortável viver de polêmicas, pois não consegue sequer organizar um raciocínio lógico.

Renato Rovai, antes de ter as mãos molhadas pela sanha e tara por Guilherme Boulos “atacava” Alexandre de Moraes. Separamos alguns dos “ataques”. Guardamos material em nuvem antes que Rovai possa deletar o material. Será que Rovai vai entrar no inquérito das fake news, ou a mãozinha de Rovai está molhada?

Estadão esculhamba Alexandre de Moraes | Revista Fórum (revistaforum.com.br)

Alexandre de Moraes ganhou indicação ao STF por prender ladrão de celular de Marcela | Revista Fórum (revistaforum.com.br)

Alexandre de Moraes defende discriminação com sangue de homossexuais | Revista Fórum (revistaforum.com.br)

Alexandre de Moraes no STF: o que nos diz essa indicação? | Revista Fórum (revistaforum.com.br)

Encontro no “barco do amor”: Quais os interesses dos ruralistas em Moraes no Supremo? | Revista Fórum (revistaforum.com.br)

Há também um surto do Renato Rovai. Será que há ataque do STF aqui? Chegou a dizer que ninguém o calaria. Hoje, Renato Rovai, se coloca do lado dos seus algozes. Como isso aconteceu? Mãos molhadas?

Consideração final

O PIG vermelho se fundiu ao azul, tentando se descolar da informação ética de defesa dos trabalhadores. Fugiram à responsabilidade para tentarem se apresentar aos ricos como limpinhos e cheirosos, mas vivendo da carniça do povo. Os auto-intitulados progressistas estão se organizando para serem uma espécie de PCB do tempo da ditadura militar, quando se acomodaram no parlamento, até perceberem que foram derrubados, tendo que permanecer no bipartidarismo, até que novamente os descontentes fizessem novos agrupamentos para lutarem contra o regime. A Fórum e o DCM são veículos deletérios, que pretendem fingir que fazem algo pelo povo, pelos trabalhadores, mas na realidade estão preparados para a nova etapa do golpe de Estado, e, ao que parece, estão preparados ludibriando que Lula “já ganhou” as eleições. Haja alienação…


COTV

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.