Por quê estou vendo anúncios no DCO?

Avós da Praça de Maio

Argentina: 131º neto sequestrado pela ditadura é encontrado

As Avós da Praça de Maio anunciaram nessa quinta-feira (22) a restituição de identidade do neto número 131, bebê sequestrados durante a última ditadura militar argentina

Brasil de Fato As Avós da Praça de Maio anunciaram nesta quinta-feira (22) a restituição de identidade do neto número 131, um dos bebês sequestrados pelos militares durante a última ditadura militar argentina (1976-1983).

“Com profunda emoção, as Avós da Plaza de Maio anunciam a restituição de um novo neto, o filho de Lucía Angela Nadín e Aldo Hugo Quevedo, de Mendoza.” Assim começava o comunicado lido por Estela de Carlotto, presidenta da organização Avós da Praça de Maio, em uma conferência realizada na Casa pela Identidade, no ex-centro de detenção clandestino (ex-ESMA). O local foi convertido no Espaço de Memória e Direitos Humanos, na cidade de Buenos Aires. “Agora são 131 o número de casos resolvidos durante estes 45 anos de busca”.

“É uma notícia muito boa, que completa um pouco o prêmio que tivemos com o futebol”, disse a presidenta. “É mais do que isso para nós, é uma notícia muito boa e nos dá esperança neste fim de ano para encontrar os que ainda faltam.”

Estela de Carlotto afirmou que as avós ainda não conheceram o novo neto restituído. “Ainda não pudemos abraçá-lo”, disse, pontuando que, no próximo ano, espera que ele possa ser apresentado à sociedade em uma nova conferência.

Os pais do neto 131, de nome ainda não revelado, se conheceram na Faculdade de Filosofia e Letras da Universidade de Cuyo, e eram militantes do Partido Revolucionário dos Trabalhadores e da guerrilha Exército Revolucionário do Povo (PRT-ERP). Ela contou ainda que Lucía estava grávida de dois ou três meses quando foi sequestrada, em 1977. Sua família não sabia de sua gestação. Estela contou que há suspeitas de que o parto tenha acontecido ali mesmo, na ex-Escola Mecânica da Armada (ESMA).

Foram quase 20 anos de busca. Quando a família de Lucía soube que ela estava grávida ao ser sequestrada, por informações que chegaram de pessoas que estiveram com o casal antes do sequestro, formalizaram uma denúncia ao Movimento Ecumênico pelos Direitos Humanos de Mendoza, em 2004, na Conadi (Comissão Nacional pelo Direito à Identidade). Confirmada a informação da gravidez, deixaram mostras genéticas no Banco Nacional de Dados Genéticos no ano seguinte, em 2005.

O roubo de bebês foi uma prática dos militares ao sequestrar mulheres grávidas ou  bebês de famílias perseguidas pela ditadura. Realocados em famílias de militares ou pessoas próximas a eles, os bebês tinham seus nomes trocados.

Por isso, uma campanha estimula pessoas nascidas durante os anos da ditadura e que tenham dúvidas sobre sua identidade a buscar as Avós da Praça de Maio para abrir uma investigação. Parte deste trabalho de reconhecimento, assessoria e estudos é realizado através da Conadi  e do Banco Nacional de Dados Genético, que identifica relação de parentesco a partir de dados genéticos das famílias perseguidas e das avós.

“Apelamos à sociedade para que se junte a nós: qualquer informação ou suspeita basta para buscar-nos. Não guarde as informações. Não fique com a dúvida. Quebre o silêncio. Nossos netos e netas estão entre nós”, encerrava o comunicado das Avós. “Nestes dias de alegria e celebração, em que sentimos a força do coletivo e o valor da perseverança, encerramos 2022 com a esperança renovada. No nosso brinde, vamos também levantar a taça por um ano repleto de reencontros. Porque, sabemos, a única luta que se perde é aquela que se abandona.”

* Os artigos aqui reproduzidos não expressam necessariamente a opinião deste Diário

Gostou do artigo? Faça uma doação!

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.