Por quê estou vendo anúncios no DCO?

Mato Grosso do Sul

A Famiglia Tebet

Caso a terceira via emplaque e, eventualmente, se eleja, Tebet poderia manter o que vem fazendo sua família há anos: se apossar de cargos do Estado


A candidatura à presidência requer muitos preparativos, principalmente de nomes a indicar para os cargos de destaque no Planalto, o que necessita de muito trabalho e negociação.

No caso da candidata Simone Tebet (MDB), esse problema pode ser que não exista, pois possui dentro da própria família a relação de nomes que podem sim ser indicados para os cargos caso ganhe a corrida presidencial, uma vez que já os alocou na administração público do Mato Grosso do Sul, sua terra. Vamos ver essa relação.

Para começar, o Ministério da Infraestrutura poderia ser indicado para Lea Symone Barbosa Rocha Peron, cuja experiência na gestão pública foi adquirida na prefeitura de Três Lagoas-MS, ocupando o cargo de secretária de Infraestrutura do município, durante a gestão da prefeita Simone Tebet (2005-2010), sua cunhada. Ela é irmã de Eduardo Rocha, marido de Tebet.

Para o Ministério da Economia, seu marido Eduardo Rocha seria ideal, pois é formado em economia, com experiência como assessor parlamentar do senador Ramez Tebet (pai de Simone) e atualmente como secretário de Estado de Mato Grosso do Sul. De economia entende, pois conseguiu ampliar seus bens, principalmente terrenos, como consta abaixo, citando o site Poder 360:

Em 2010, possuía 5 imóveis declarados (3 apartamentos, 1 casa e 1 terreno).
Em 2014, aumentou para 8 imóveis declarados (4 apartamentos, 2 casas e 2 terrenos).
Em 2022, ampliou para 12 imóveis declarados (4 apartamentos, 4 terrenos, 3 casas e parte de
um prédio comercial).

O mesmo site informa sobre a declaração de bens de Simone Tebet:

Em 2008, Simone declarou 11 imóveis: (2 apartamentos, 6 imóvel residencial, 1 lote de terreno, 1 sítio e uma gleba de terras rurais denominada Fazenda Santo Antônio da Matinha, Caarapó-MS, com 1.123,2 hectares)

Em 2010, declarou 11 imóveis: (2 apartamentos, 6 casas, 1 lote de terreno, 1 terra nua constado como uma gleba de terra rural, denominada Fazenda Santo Antônio da Matinha no município de Caarapó-MS; e outros bens imóveis (Sitio Rancho das Marrecas no município de Três Lagoas-MS)

Em 2014, declarou 13 imóveis: (2 apartamentos, 6 casas, 1 terreno citado como uma gleba de terras rurais, denominada Fazenda Santo Antônio da Matinha, munic. Caarapó-MS; 1 outros bens imóveis citado como Sitio Rancho das Marrecas munic. Três Lagoas-MS; 3 terrenos citados como lote de terreno)

Em 2022, declarou novamente 13 imóveis (4 terrenos, 2 casas e 7 apartamentos)

Para o Ministério da Saúde, certamente haveria o nome da doutora Maria Eduarda, irmã de Tebet. Ela é funcionária do estado de Mato Grosso do Sul. Mas para esse cargo há ampla concorrência, pois não é a única da família que trabalha na área de saúde e que tem relação com o legislativo.

O Ministério de Meio Ambiente também tem ampla concorrência, pois Tebet tem vários membros na família que entendem de meio ambiente muito bem pois além de possuírem fazendas, tem negócio com o plantio de pinus e eucalipto, água mineral, e de demais recursos minerais.

Para o Ministério de Justiça, esta vaga também tem grande concorrência, pois especialista jurídico é abundante na família. Pode ser que ganhe o Dr. Antônio Tebet Junior, com experiência na Câmara da prefeitura de Três Lagoas-MS. Ele é filho de Antônio Tebet, irmão mais novo do falecido senador Ramez.

Para a Secretaria Especial do Desenvolvimento Social, que tal o nome de Felipe Alonso Tebet? Empresário, seu nome constava na lista de beneficiário de bolsa família durante a pandemia. Diz que alguém colocou por engano. Aliás, ele é candidato ao cargo de deputado estadual, pelo partido PROS. Ele é sobrinho do Ramez e primo de Simone.

Para o cargo de Presidente de INSS, talvez seria ideal indicar o nome de Fairte Nassar Tebet, viúva de Ramez e mãe de Simone, que é beneficiaria de pensão pelo estado de Mato Grosso do Sul de cerca de R$30 mil mensais. De pensão ela entende, e com certeza será benevolente com aqueles que realmente precisam de ajuda do estado.

O Ministério das Comunicações poderia ser ocupado também por Eduardo Rocha, marido de Simone. Ele é muito bom em divulgar e homenagear os membros da família em sessão solene do Estado de Mato Grosso do Sul.

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento poderia ser ocupado tanto pela própria Simone, ou um de seus três irmãos, sua mãe e alguns primos, pois de agronegócio entendem muito bem, já que cada um tem sua fazenda a administrar.

Comitês de Luta do Mato Grosso do Sul

Gostou do artigo? Faça uma doação!


COTV

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.