Por quê estou vendo anúncios no DCO?

Fechados com Bolsonaro

Os que votaram na PEC 32 devem participar dos atos da esquerda?

Apontados como aliados pelos defensores da "frente ampla" com a direita golpista, deputados do DEM/MBL, Cidadania,, PSDB e MDB ajudam a aprovar ataque


Por 28 votos a 18, a  Comissão Especial da Câmara aprovou na última quinta (23), a PEC 32 de autoria do governo Bolsonaro, que traz um conjunto de ataques aos serviços públicos e ao conjunto do funcionalismo federal, estadual e municipal de todo o País.

Entre os que votaram a favor, estão, além dos bolsonaristas, setores da “oposição”, como PSDB, MDB e Cidadania o que evidencia que a politica de toda a direita é expropriar os trabalhadores (12 milhões de servidores) e todo o povo afetado pela destruição dos serviços públicos.

Além de um conjunto de ataques ao funcionalismo, como a possibilidade de reduzir em até 25% os salários, a pretexto de crise fiscal, isso quando os servidores – na enorme maioria dos casos – estão com os salários congelados há mais de cinco anos.

Está prevista a criação de mecanismos de avaliação que podem estabelecer diferenciação salarial e até demissão de servidores por parte das máfias políticas que controlam o Estado à serviço dos capitalistas.

A escravidão a ser imposta aos servidores é tamanha que quer se impor regras para contratações temporárias, com limite de até dez anos (!), o que obviamente abre caminho para a drástica redução e até extinção do número de servidores concursados.

A famigerada “reforma”, prevê uma privatização em larga escala dos serviços públicos, disfarçada de “cooperação com órgãos e entidades públicos e privados” as quais poderiam “compartilhar a estrutura física e utilizar recursos humanos de particulares, com ou sem contrapartida financeira“.

Essa política foi, cinicamente definida pelo deputado direitista deputado Darci de Matos (PSD-SC) como significando que “o setor privado quer dar sua contribuição. A cooperação do setor privado com o serviço público é o que há de mais moderno no mundo. Não tem nada de errado nisso“.

É claro que as medidas não atingem às cúpulas dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário. O texto aprovado, por exemplo, mantém benefícios de juízes e promotores, como as férias de 60 dias. Os deputados ainda devem votar no Plenário destaque sobre a inclusão de membros do Judiciário e do Ministério Público na reforma administrativa. No entanto, o relator da PEC, Arthur Maia (DEM), já alegou que um parecer da Mesa Diretora da Câmara havia entendido que a inclusão só seria possível se a proposta fosse de iniciativa do próprio Judiciário.

A “reforma” administrativa acaba, dentre outros, com os seguintes benefícios para administração pública direta e indireta, nos níveis federal, estadual e municipal: férias superiores a 30 dias; adicionais por tempo de serviço; licença-prêmio, licença-assiduidade ou outra licença por tempo de serviço; adicional ou indenização por substituição; progressão ou promoção baseadas em tempo de serviço.

Como em todas as medidas contra os trabalhadores aprovada até aqui, elas não poderiam passar sem o apoio da “oposição” burguesa e golpista ao governo Bolsonaro. Mais uma vez bolsonaristas e “oposicionistas” estiveram unidos contra os trabalhadores.

Dentre outros votaram a favor da proposta , na Comissão, os seguintes deputados integrantes dos partidos e/ou grupos que setores da esquerda burguesa e pequeno burguesa defensores da frente ampla com a direta golpista querem apresentar como sendo aliados da esquerda na luta contar Bolsonaro:  Kim Kataguiri (DEM-SP), do MBL; Marcel van Hattem (NOVO-RS); Alceu Moreira (MDB-RS); Mauro Lopes (MDB-MG); Paulo Ganime (NOVO-RJ); Lucas Gonzalez (NOVO-MG); Samuel Moreira (PSDB-SP); Alex Manente (CIDADANIA-SP); Gastão Vieira (PROS-MA); Tiago Mitraud (NOVO-MG) e Sergio Souza (MDB-PR).

Alguns partidos, como é o caso do Solidariedade (SDS), deram votos contrários na Comissão, quando todos sabem que sempre dão a maioria ou parte dos seus votos para a proposta contrária aos trabalhadores no Plenário. No caso do SDS, por exemplo, o seu presidente, Paulinho da Força, votou contra a reforma da Previdência mas 13 dos 14 deputados do partido deram seus votos para aprovar a matéria, evidenciando o acordo em torno do tema.

É preciso desmascara a farsa dos que procuram se infiltrar nas mobilizações da esquerda para colher dividendos eleitorais e/ou ajudar a destruir a mobilização em favor da política reacionária que apóiam e da candidatura da “terceira via”, comandada por hora por João Doria (PSDB) que quer intensificar os ataques contra o povo e a economia nacional, como mostra o apoio aos projetos do governo Bolsonaro, bem como as reformas que estão impondo nos Estados, como o PLC 26 do governo tucano paulista, contra o qual lutam os servidores do Estado.
Contra a política de colaboração com seu algozes, a esquerda classista deve se mobilizar para repudiar essa infiltração e a “confraternização” contra os que apunhalam os servidores e todo o povo brasileiro.
Abaixo a PEC 32. Fora Bolsonaro, Doria e todos os golpistas.

COTV

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.