Por quê estou vendo anúncios no DCO?

Farsa da vacinação

Diante da mobilização por vacina, Anvisa monobra com Sputnik V

Nesta sexta-feira, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou a importação excepcional de doses da Covaxin e Sputnik V


Nesta sexta-feira, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou a importação excepcional de doses da Covaxin e Sputnik V, a vacina indiana e russa respectivamente, possibilitando a importação de lotes específicos e com utilização conforme os interesses da Anvisa.

Quanto a vacina russa, a quantidade de doses será limitada a cerca de 1% da população de seis estados brasileiros que já haviam solicitado anteriormente a vacina. Assim, Bahia, Sergipe, Ceará, Pernambuco, Sergipe e Piauí receberão as doses.

Já a respeito da Covaxin, vacina produzida na Índia, quatro milhões de doses serão importadas, sendo que seu uso ficará restrito a condições controlada pela Anvisa, das quais informações ainda não foram divulgadas. Dessa maneira, a Anvisa manobra em meio a crise e aprova, mesmo após rejeitar inicialmente as vacinas, a chegada de novos imunizantes.

Ambas as vacinas foram duramente atacadas pela imprensa burguesa até agora. A vacina russa sobretudo, sempre foi barrada buscando defender os interesses dos Estados Unidos, mesmo que em todo mundo sua eficácia fosse comprovada desde o primeiro momento. Em paralelo, a vacina indiana sofreu com a pressão dos países imperialistas, que suprimiram a produção de vacinas nos países atrasados, em prol do monopólio mundial da vacinação contra o novo coronavírus.

É necessário destacar que a aprovação destas vacinas ocorre apenas a explosão social que vem se dando em todo país. Após o vitorioso ato nacional de 1º de maio convocado pelo Partido da Causa Operária e Comitês de Luta, greves e manifestações passaram a ocorrer por todos os lugares.

Assim, os petroleiros, metroviários, professores e trabalhadores do transporte público, entraram em greve em realizaram manifestações exigindo vacinação completa da categoria. Em locais como São Paulo e Florianópolis, a greve dos professores se manteve até a categoria passar a ser efetivamente vacinada.

Além das greves, mobilizações explodiram no dia 13, contra a chacina realizada no Jacarezinho e posteriormente, exigindo vacina, emprego e auxílio, trabalhadores tomaram às ruas de todo país, reunindo mais de 200 mil pessoas nas ruas. Todas estas manifestações tiveram como uma das principais reivindicações a exigência de vacina para todos, contra o genocídio realizado pelo regime golpista.

Agora, com o anuncio da continuação das manifestações no dia 19 de junho, os golpistas foram obrigados a manobrar em meio a crise, e Bolsonaro, para garantir seu governo e reeleição, passa a demagogicamente impulsionar uma pequena campanha de vacinação. Dessa maneira, busca dar um sinal “positivo” em meio ao genocídio, de que a vacinação da população estaria avançando, mesmo enquanto o país atinge meio milhão de mortos.

Mesmo as aprovando, a agência busca colocar uma série de restrições no uso das vacinas. A política da Anvisa mostra que se por um lado a agência passa a ceder a pressão das grandes manifestações que vem tomando conta do país, por outro lado, mantém também a defesa dos interesses dos países imperialistas, sobretudo dos Estados Unidos, que deseja manter o monopólio da vacina no país.

A política serviçal dos golpistas é vista desde o início da pandemia. O governo brasileiro não só busca garantir o monopólio imperialista dentro do próprio país, como também, saiu em defesa das criminosas patentes farmacêuticas, que impedem que as vacinas sejam produzidas em todos os países.

Com a aprovação provisória das vacinas russa e indiana, fica claro a necessidade de continuar a mobilização contra os golpistas. As manifestações realizadas em todo país já se mostram um grande ponto de pressão contra a política da burguesia brasileira.

Fica visível que apenas tomando às ruas, mobilizando toda classe trabalhadora, que as principais reivindicações da população serão atendidas. Por isso, mais do que nunca, é fundamental continuar a mobilização, fazer do dia 19 de junho um dia de manifestações capaz de reunir milhões por todo país, e levar assim a frente a derrubada do governo golpista.

É necessário desde já realizar uma intensa campanha de agitação política nas ruas. As manobras que o regime golpista está sendo forçada a realizar não devem servir para confundir a população, é necessário impulsionar com ainda mais intensidade em meio ao enfraquecimento do governo. Todos os setores oprimidos devem ser chamados pelos partidos da esquerda e organizações populares, mobilizados em torno dos atos do dia 19, como também em uma mobilização permanente em todo país.

Gostou do artigo? Faça uma doação!


COTV

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.