Por quê estou vendo anúncios no DCO?

No ato em São Paulo

PSTU imita bolsonaristas na censura da defesa do Hamas

Para o PSTU, defesa da Palestina não é consequente

Na manifestação que ocorreu em São Paulo, nesse domingo (29), alguns acontecimentos marcaram bem a política da esquerda pequeno-burguesa em relação à questão palestina.

Membros do PSTU retiraram o microfone das mãos do dirigente do PCO, Henrique Simonard, durante sua fala no ato, no momento em que o companheiro ia declarar o apoio ao Hamas e à luta armada do povo palestino.

Durante a passeata, alguns episódios do mesmo tipo aconteceram. Algumas pessoas, em nome de uma “coordenação do ato”, tentaram impedir que os militantes do PCO gritassem palavras de ordem em defesa do Hamas.

Claramente, essa era uma política orientada por um pequeno setor que tenta impor sobre o restante da manifestação a sua política.

No final das contas, essa é uma política cujo objetivo é desagregar a manifestação e a tão necessária unidade de todos os grupos que querem defender a Palestina.

Se o PSTU não quer defender o Hamas, por mais errada que seja essa política, eles não são obrigados a isso. O que é extremamente desagregador, sectário e reacionário é tentar enquadrar todo o resto da manifestação nessa política.

A esquerda pequeno-burguesa, na qual o PSTU se inclui, precisa abandonar o hábito reacionário de se achar dono de um determinado movimento. Se a palavra de ordem é unidade em defesa da Palestina, então é preciso que todos os setores que tenham essa política estejam presentes e possam se expressar no ato.

A atitude do PSTU é ainda mais grave e reacionária porque exatamente nesse momento, por defender a Palestina, o PCO está sendo perseguido pelos bolsonaristas. Primeiro, o companheiro Francisco Muniz foi ameaçado anonimamente pelos sionistas por um vídeo seu defendendo o Hamas.

Agora, o companheiro João Pimenta está sendo alvo de um processo civil articulado por 27 deputados bolsonaristas. O motivo: João defendeu a resistência palestina e o Hamas.

O PSTU, ao invés de se colocar em solidariedade, prefere censurar o PCO no ato. É a demostração de que o PSTU não quer defender de fato a Palestina. O PSTU quer calar o PCO do mesmo jeito que os bolsonaristas!

Mas se nem os bolsonaristas, que são deputados, conseguirão calar o PCO, menos ainda o PSTU.

A atitude do PSTU mostra por que eles não defendem o Hamas. A sua suposta defesa da Palestina é apenas retórica. É o Hamas, junto a outros grupos, que está lutando na Palestina contra o genocídio cometido pelo Estado de Israel. Defender a Palestina é apoiar incondicionalmente esses grupos, e o maior deles é o Hamas.

Já sabíamos que o PSTU era um partido que fingia ser revolucionário. Agora sabemos também que até mesmo sua defesa da Palestina é de brincadeira. Se a direita pró-Israel disse que não pode defender o Hamas, lá está o PSTU para obedecer caninamente.

Gostou do artigo? Faça uma doação!

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.