Antônio Vicente Pietroforte

Professor Titular da USP (Universidade de São Paulo). Possui graduação em Letras pela Universidade de São Paulo (1989), mestrado em Linguística pela Universidade de São Paulo (1997) e doutorado em Linguística pela Universidade de São Paulo (2001).

História em quadrinhos

“Mikrokosmos”, da música de Béla Bártok à HQ de Thiago Souto

Thiago Souto articula música, astronomia e artes plásticas em Mikrokosmos, sua HQ de 2014.

Conheci o Thiago Souto em uma convenção de quadrinhos; no dia, ele divulgava a novela gráfica “Mikrokosmos”, de 2014, edição do autor. A trama é ficção científica, mas a referência à música erudita me chamou atenção, pois há um teclado na capa, sobre o qual pousam duas mãos, e “Mikrokosmos” é o título do ciclo de 153 peças para piano solo, do compositor húngaro Béla Bártok (1881-1945). Quem estuda piano, geralmente, já praticou com o “Mikrokosmos” devido à natureza didática das composições, o que não as reduz a peças fáceis de interpretar ou ouvir; o significado da palavra microcosmos, entretanto, no caso da HQ, deve ser expandido em outros sentidos sugeridos pela narrativa da novela.

Os sufixos gregos “micro” e “macro” se opõem; o primeiro significa “pequeno” e o segundo, “grande”. No texto da HQ, o macrocosmo é o cosmos em sua totalidade, sugerindo, pelo menos, três significados: (1) a sala dos estudos de piano – o protagonista é pianista, igualmente à mãe –; (2) a nave espacial – o pianista torna-se astronauta –; (3) o próprio pianista-astronauta, diante do universo. Nessa última significação, o pianista-astronauta pode ser reflexo do cosmos; o autor parece remeter ao simbolismo religioso do homem enquanto espelho do universo, isto é, o homem-microcosmo enquanto reflexo do macrocosmo.

Na linguagem do cinema, Stanley Kubrick redimensionou o papel da música erudita – principalmente a música erudita contemporânea –, atribuindo a ela outras funções além de ser mera trilha sonora, quer dizer, simples pano de fundo das ações; o famoso filme “2001, uma odisseia no espaço” é exemplo do que também ocorre em “O Iluminado”, “Barry Lindon”, “Laranja Mecânica”, “De olhos bem fechados”. Em seu “Mikrokosmos”, Thiago segue pelo mesmo caminho, valendo-se de Bártok, Schumann, Rachmaninoff, Chopin e Mozart para contar sua ficção científica.

Na HQ, semelhantemente ao cinema de Kubrick, a música não reflete apenas os estados passionais das personagens; por meio da tessitura musical e sua matemática, os domínios da numerologia, da música e da astronomia são correlacionados, permitindo, além das emoções, outros modos de compreender o mundo por meio da razão. Com alusões ao repertório erudito, de compositores clássicos a contemporâneos, Thiago harmoniza, via música, o homem e o cosmos; surpreendentemente, ele faz isso sem compor peças para piano, mas compondo HQs, valendo-se de sinestesias e de interdiscursividade entre as linguagens musicais, verbais e visuais, dando, assim, sentido às vidas de suas personagens.

Artigo publicado, originalmente, em 23 de dezembro de 2022.

* A opinião dos colunistas não reflete, necessariamente, a opinião deste Diário

Gostou do artigo? Faça uma doação!

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.