Censura da internet

Direita propõe novo projeto para a censura na internet

A regulação da internet é uma tremenda armadilha na qual a esquerda está caindo.

A caçada da direita contra a liberdade de expressão na internet continua. Depois de fracassar na tentativa de empurrar goela abaixo do povo o Projeto de Lei 2.630, agora a direita tenta aprovar o Projeto de Lei 2.120, a cargo do União Brasil. A direita tenta censurar a liberdade de opinião na internet para manter o controle do pensamento no Brasil.

O Projeto de Lei 2.120 é de autoria do deputado federal Mendonça Filho, do União Brasil de Pernambuco. Vale ressaltar, em primeiro lugar, que o União Brasil é o partido que surgiu da fusão entre o Democratas, Partido da ditadura, com o PSL, Partido que serviu de “sigla de aluguel” para que Jair Bolsonaro e toda sua gangue concorresse nas eleições de 2018. Ou seja, o União Brasil é um dos Partidos mais perto do fascismo que temos no Brasil.

Por outro lado, a direita aproveita a derrota do PL 2.630 para promover o programa a seu direito. A imprensa tradicional, composta por organizações Globo, Folha de São Paulo, Estadão, Veja etc é a maior interessada nessa censura das redes sociais. 

Num plano mais superficial, pode-se ver um interesse econômico nisso, já que o dinheiro de publicidade que as mídias sociais geram deixarão de ir para os “criadores de conteúdos” independentes e irá para os meios de comunicação tradicionais. Assim, a mídia independente sofrerá um forte baque, com muitos órgãos podendo perder sua viabilidade de existir. Isso é uma forma de censura via monopolização, uma censura “enfeitada”.

Olhando a coisa por um ponto de vista mais profundo e político, o que está em jogo é a monopolização do controle da informação. Voltemos ao passado: antes da popularização da internet, os únicos meios de informações existentes eram mídia impressa, televisiva e rádio. Nesse contexto, a Rede Globo imperava, com centenas de TVs satélites espalhadas pelo Brasil, divulgando sua grade, logo, aquilo que ela queria que passasse na casa dos brasileiros. Era comum a ideia de que se não passou na Globo, não existiu. Daí surgiram bordões do tipo “Isso a Globo não mostra” ou “Rede Esgoto de Televisão”.

Com a internet, a Rede Globo e seus pares viram a informação ser muito mais difusa. Agora, a alegação desses meios é de que a necessidade da regulação da internet passa, dentre outras questões, pelas mentiras divulgadas por esse meio de informação. Ora, a Rede Globo está preocupada com mentira a essa altura do campeonato? Engana quem quer ser enganado.

Acontece que a esquerda está muito querendo ser enganada, e está conseguindo. A esquerda está fazendo o que a Globo (logo, a direita) quer que faça: criminalizar a liberdade de expressão na internet. Essa política reacionária remete os tempos da ditadura, período em que a Globo conseguiu estabelecer seu império dominante da informação, quando o governo, com o argumento de proteger a população dos comunistas, cerceava a informação, regulando o que deveria ou não ser publicado.

É evidente que essa política se voltará contra a esquerda. Primeiro porque ela é pouco popular, o que gera um desgaste político para a esquerda, algo que já aconteceu. Segundo que se cria um poder muito grande nas mãos do agente regulador, que ainda não se sabe quem será, mas pode-se imaginar quem. 

Vamos fazer um exercício de raciocínio lógico: voltemos ao período de 2015/2016. Naquela época, era dominante no noticiário, principalmente Rede Globo, a ideia de que o PT era a maior quadrilha corrupta do mundo, que Dilma deveria sofrer um golpe e que apenas Michel Temer poderia apaziguar o Brasil. As instituições jogavam o jogo nesse sentido. A Lava-Jato foi uma operação de caça às bruxas institucionalizadas, o STF assinou embaixo o golpe e a prisão de Lula. Quem denunciava o golpe era taxado de” petista mentiroso”.

Agora imaginemos esse cenário político no marco do PL 2.630 ou PL 2.120. O que poderá acontecer com quem levantar voz contra uma perseguição à esquerda (que é muito fácil de acontecer)? Haverá um órgão, uma pessoa, regulando o que é mentira ou verdade na internet. No barato, a pessoa perderá o financiamento. No ruim, pode pegar cana. 

A Vaza-Jato, por exemplo, possivelmente não existiria. Lembremos as inúmeras tentativas de desqualificar os vazamentos feitos por Glenn Greenwald. Os arquivos poderiam ter sido abafados, as publicações retiradas do ar e os veículos de comunicações penalizados em multas astronômicas caso não retirassem o conteúdo do ar. Certamente, a essa altura, Lula ainda estaria preso.

Fica evidente a cilada política em que a esquerda está se metendo. Está se criando um poder enorme e pondo nas mãos da direita. A direita será a grande vencedora dessa situação toda. Engana-se quem acha que a derrota do PL 2.630 é uma derrota do governo, até porque o próprio Lula já deixou claro que não quer se envolver na questão.

A vitória do PL 2.630, ou do genérico 2.120, poderá se tornar um grande elefante em cima do poste para a esquerda assim como foi a Lei da Ficha Limpa. Só que dessa vez pior, porque a esquerda não poderá mais contar com a internet para travar a luta política.

.

Gostou do artigo? Faça uma doação!

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.