Nem o Haaretz esconde

A farsa dos mortos no festival de música

Uma investigação do incidente revelou também que um helicóptero de combate das FDI que chegou ao local e, ao disparar contra o Hamas, também atingiu israelenses

Logo após a ação revolucionária da resistência armada palestina no dia 7 de outubro, liderada pelo Hamas ,mas que contou com outros três grupos do Eixo de Resistência, o aparato de propaganda sionista entrou em ação para propagar mentiras e calúnias contra o partido islâmico.

As calúnias foram veiculadas por toda a imprensa imperialista e pró-imperialista, sem absolutamente nenhum questionamento, dado um exemplo de como não se fazer jornalismo e de como funciona a máquina de propaganda sionista. Dentre as inúmeras calúnias, houve a de que o Hamas invadiu uma festa rave e matou inocentes judeus israelenses e estrangeiros que estavam apenas se divertindo. Trágico. Isto fora noticiado como se um dos objetivos dos militantes do Hamas fosse este: invadir a festa e matar os presentes. Mas vale aquela máxima da sabedoria popular brasileira: a mentira tem pernas curtas.

No último mês, as mentiras da máquina de propaganda sionista vêm sendo desmascaradas quase que diariamente, inclusive por órgãos que fazem parte da própria imprensa sionista, como o jornal Haaretz.

Dando continuidade a isto, no sábado (18), o mesmo jornal trouxe a seguinte notícia: o Hamas não sabia antecipadamente sobre a tal rave. Conforme a investigação da própria polícia sionista, o Hamas pretendia “chegar ao Kibutz Reim e outros kibutzes e descobriu sobre a festa em tempo real”. Na mesma matéria, é dito também que, segundo uma fonte policial, uma investigação do incidente revelou o fato no qual um helicóptero de combate das FDI, que chegou ao local vindo da base de Ramat David, disparou contra os terroristas e atingiu diversos dos foliões que ali se encontravam.

Segundo a polícia israelense, 364 das 4.400 pessoas presentes no festival teriam morrido. Número questionável. E não especificam quantas teriam sido pelas FDI e quantas pelo Hamas. Contudo, a matéria mostra uma foto de alguns dos carros das pessoas que estiveram na festa:

Deve-se fazer a pergunta: quem poderia ter provocado esse tipo de dano? Os helicópteros de combate das FDI ou os militantes do Hamas, armados com metralhadoras?

Isto vai ao encontro da investigação que está sendo feita por Max Blumenthal, editor-chefe do sítio The Grayzone, que vem desmontando as mentiras sionistas a respeito do dia 7 de outubro. Segundo Blumenthal, as FDI bombardearam indiscriminadamente a própria população israelense, seja utilizando-se de tanques, seja helicópteros apaches:

“Os helicópteros de ataque Apache também tiveram um papel importante na resposta militar israelense em 7 de outubro. Os pilotos disseram à mídia israelense que correram para o campo de batalha sem qualquer inteligência, incapazes de diferenciar entre combatentes do Hamas e não-combatentes israelenses, e ainda assim determinados a ‘esvaziar a barriga’ de seus máquinas de guerra. ‘Encontro-me num dilema sobre onde atirar, porque há muitos deles’, comentou um piloto Apache”.

Plano de Israel é “limpar” a Faixa de Gaza

Conforme exposto em matéria do sítio The Grayzone, “os helicópteros Apache parecem ter-se concentrado em veículos que regressavam a Gaza vindos do festival de música eletrônica Nova e de kibutzes próximos, atacando carros com aparente conhecimento de que podiam estar prisioneiros israelenses no interior. Também dispararam contra pessoas desarmadas que saíam dos carros ou caminhavam a pé pelos campos na periferia de Gaza.

Um membro das FDI (Forças de Defesa de Israel) disse em entrevista que sabia que em muitos desses veículos poderia haver reféns. Apesar disto, abriam fogo de forma indiscriminada. Em um relatório, disse que “atirar em pessoas no nosso território é algo que nunca pensei que faria”.

Assim, quanto mais se vasculha, quanto mais depoimentos são tomados, quanto maior a profundidade da investigação, mais constata duas coisas: 1) não morreram tantas pessoas quanto foi propagandeado de início; e 2) grande parte dos israelenses foram mortos pelas próprias forças de defesa de Israel, seja por fogo cruzado, sejam bombardeadas por tanques ou helicópteros apache.

E nisto incluem-se os israelenses do festival de música.

Gostou do artigo? Faça uma doação!

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.