Por quê estou vendo anúncios no DCO?

Ditadura do judiciário

Questione a santa urna eletrônica e seja queimado na fogueira

Alexandre de Moraes demonstra, mais uma vez, que não será tolerado qualquer tipo de questionamento acerca do processo eleitoral ao perseguir politicamente o PL


Nessa quarta-feira (23), o ministro Alexandre de Moraes, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), rejeitou uma ação apresentada pelo Partido Liberal (PL), partido de Jair Bolsonaro, que pedia a anulação dos votos em mais de 279 mil urnas utilizadas no segundo turno das eleições deste ano.

Entretanto, além de simplesmente recusar a ação, o skinhead de toga do Supremo Tribunal Federal (STF) impôs uma multa de cerca de R$23 milhões sob a acusação de “má-fé”. Ademais, suspendeu o fundo partidário de todas as legendas que fazem parte da coligação Pelo Bem do Brasil, nominalmente, o PL, o Republicanos e o Progressistas (PP).

Por fim, Moraes encaminhou à Corregedoria-Geral Eleitoral a instauração de um procedimento administrativo para apurar “possível cometimento de crimes comuns e eleitorais” em relação à atuação de Valdemar Costa Neto, presidente do PL, e Carlos Rocha, engenheiro responsável pelo instituto que elaborou o relatório utilizado como base pela ação do PL. Ambos também foram incluídos no Inquérito das Milícias Digitais.

Em primeiro lugar, é preciso dizer que a legislação brasileira não prevê nenhum tipo de punição por supostamente agir de má-fé. Decerto que é uma prática que não agrada os olhos do judiciário, mas não é um crime. Por princípio, a decisão de Moraes é, então, antidemocrática e inconstitucional, utilizando os chamados crimes de opinião como justificativa para levar adiante os seus próprios interesses.

Finalmente, independentemente do que pretende o partido de Bolsonaro, fato é que a ação encaminhada ao TSE é legítima e age conforme a lei, pois, ao reivindicar a atuação do tribunal, age como pessoa jurídica livre. Fundamentalmente, trata-se de um cidadão acionando um serviço público para que cumpra com as atribuições que a Constituição prevê.

Além disso, o fato de Moraes ter negado o processo simplesmente por considerar que a ideologia apresentada é “golpista” demonstra um caso de perseguição política. É o mesmo, por exemplo, que uma escola pública negar a matrícula de um filho pelo posicionamento político de seus pais.

A situação em questão pode ser colocada em termos mais claros. Digamos que, na época do massacre do Jacarezinho, determinado ativista dos direitos humanos fosse ao judiciário brasileiro pedir informações e explicações acerca da chacina. Ao invés de auxiliar o cidadão, o órgão público se recusa a cumprir com o seu dever legal e, então, inicia um processo contra o ativista lhe acusando de associação com o crime. É completamente esdrúxulo.

Fica claro que a decisão contra o PL é simplesmente absurda do ponto de vista jurídico e demonstra que a burguesia continua perseguindo os direitos democráticos do povo por meio da demagogia da defesa das “instituições democráticas”. Moraes dá o aviso de que, se você questionar a santa urna eletrônica, será condenado pela Inquisição do Xandão a um suplício tal qual os hereges na Idade Média.

Até porque o PL estava fazendo exatamente isso: questionando determinado aspecto do processo eleitoral, algo completamente válido, inclusive, enquanto partido político que efetivamente participou do pleito.

A esquerda brasileira não deve continuar defendendo as medidas absolutamente ditatoriais de Alexandre de Moraes e, no geral, do judiciário brasileiro. O caso do Partido da Causa Operária (PCO) mostra que, no final, são precedentes que servem para atacar os trabalhadores e as suas organizações. Portanto, devem ser denunciados e combatidos, pois a defesa dos direitos democráticos deve ser absoluta, até mesmo para os maiores inimigos políticos da classe operária.

Gostou do artigo? Faça uma doação!


COTV

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.