Por quê estou vendo anúncios no DCO?

Contra a Sérvia

O futebol-arte do Brasil entra em campo hoje

Começa a caminhada da Seleção rumo ao Hexa. Os militantes e simpatizantes do PCO se somam aos milhões de torcedores no Brasil e no mundo na torcida pelo nosso futebol arte


Chegou a hora da aguardada estreia da Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 2022. O primeiro jogo do Brasil no Catar será contra o provavelmente mais qualificado adversário do grupo G. Brasil e Sérvia se encontram no Estádio Nacional de Lusai, cidade de Lusai, nesta quinta-feira, 24 de novembro, às 16h no horário de Brasília.

A seleção sérvia divide com a seleção croata a maior parte da herança do futebol da Iugoslávia. O esquartejamento do país dos Bálcãs, além de enfraquecer política e economicamente essa região da Europa, ainda destruiu uma das mais interessantes seleções europeias, que alcançou por duas vezes as semifinais da Copa. O destaque da atual seleção sérvia é seu trio de ataque, com Vlahovic, Mitrovic e Tadić.

Nas eliminatórias europeias, a Sérvia desbancou uma das queridinhas da imprensa imperialista. Portugal, com o “robozão” Cristiano Ronaldo e uma nova geração de jogadores, ficou em segundo no grupo A e teve que disputar a repescagem para viajar pro Catar. O restante do grupo só fez figuração: Irlanda, Luxemburgo e Azerbaijão. E temos que ouvir comentaristas esportivos no Brasil fazendo campanha contra as eliminatórias sul-americanas, justamente onde existe o melhor futebol do mundo.

Mesmo sendo criticado pela imprensa pró-imperialista dentro de casa, a Seleção Brasileira fez uma campanha quase perfeita nas eliminatórias. Em 17 jogos, venceu 14, empatou apenas 3 e teve um dos jogos contra a Argentina cancelado. Melhor ataque com 40 gols e melhor defesa, que sofreu apenas 5 gols. Nada menos do que 88% de aproveitamento. Na falta de algo concreto para explorar na avacalhação da equipe comandada por Tite, a imprensa golpista colocou seus micos amestrados para repetir à exaustão que o futebol sul-americano de conjunto é fraco.

Foi interessante constatar o absurdo contraste entre a percepção dos estrangeiros sobre a nossa Seleção e o que a imprensa daqui vem insistindo em martelar. Um ponto que tentaram explorar foi uma ou outra escolha de Tite para a Copa, como a convocação do experiente Daniel Alves. Na saída do primeiro jogo da Holanda, outro queridinho da imprensa, o zagueiro Virgil van Dijk, foi questionado sobre a ausência do ataque Roberto Firmino, seu companheiro de clube na Inglaterra.

A resposta do zagueiro foi espontânea e foi um balde de água fria em quem queria algum material para usar contra as escolhas do técnico brasileiro: “Eu acho que se Bobby (Firmino) não está no elenco, Brasil tem um time muito, muito bom. Isso é tudo”. Falou pouco, mas falou bem. A questão é justamente essa, o Brasil tem material humano para montar três ou quatro seleções capazes de disputar o título mundial e inevitavelmente teremos craques de fora das Copas.

A escalação anunciada para a estreia do Brasil não deixa a menor brecha para críticas. Qualquer um dos goleiros convocados, além de outros que ficaram de fora, é certeza de segurança no gol, mas Alisson se firmou como titular. Nas laterais, Danilo e Alex Sandro, dupla campeã da Libertadores de 2011 ao lado de Neymar e outras feras. Na zaga, o capitão Thiago Silva e Marquinhos, dois zagueiros seguros e habilidosos.

No meio-campo, no lugar de dois volantes, Tite pretende começar com Casemiro e Paquetá, o que é certeza de qualidade na saída de bola e articulação com o setor ofensivo da equipe. Neymar, nosso camisa 10, deve flutuar do meio para frente para desespero dos adversários. Pelas pontas, os goleadores Raphinha e Vinícius Júnior, e vestindo a camisa 9, Richarlison. No banco, muitas opções para oxigenar o ataque durante os jogos, como Antony, Rodrygo, Pedro, Gabriel Jesus e Martinelli.

Como o querido Iran, o Luva de Pedreiro, sabiamente repete: “os brasileiros são os melhores do mundo”. O mundo inteiro sabe disso e sempre abraça a Seleção Brasileira nas Copas do Mundo. Em especial, os amantes do futebol arte e os povos oprimidos em geral. Quem gosta de futebol, reconhece nos jogadores brasileiros a expressão máxima dessa arte do improviso, da malícia e da inteligência. De resto, se trata de um país atrasado que superou as grandes potências europeias no seu próprio jogo.

Um episódio histórico muito marcante foi a campanha brasileira na Copa de 1970 no México. A torcida mexicana, muito apaixonada por futebol, abraçou a Seleção Brasileira como se fosse a sua própria. Na final, a Seleção Brasileira devolveu o placar de 4×1 contra a Itália, que eliminou os mexicanos por esse placar nas quartas de final, para deixar a torcida local completamente apaixonada pela equipe de Pelé e companhia. Foi a coroação de Pelé como Rei do Futebol e do Brasil como melhor do mundo no esporte mais popular do planeta.

Na atual edição da Copa, a principal estrela é Neymar. Maior ídolo do futebol nos dias de hoje, é o jogador mais cultuado pelas torcidas de diversos países. Isso pode parecer estranho, porque a imprensa brasileira não para de atacar o jogador aqui, o que acaba influenciando negativamente parte da torcida. Mas felizmente nem o poder monopolista da imprensa é capaz de convencer que nosso futebol está abaixo do que jogam os europeus.

Apoiar a Seleção Brasileira é defender nosso patrimônio cultural, é se orgulhar do fato de que mesmo com todas as desvantagens econômicas, o povo brasileiro reinventou o esporte que veio da Europa, ao ponto de transformá-lo em arte e no esporte mais popular do mundo. Além disso, ao torcer para a Seleção, nos juntamos à torcida dos povos oprimidos de todo canto do planeta, que têm nela um símbolo da luta contra os países imperialistas.

Há poucos dias, Lula colocou o Brasil na COP 27 como liderança dos países atrasados para superar esse atraso econômico na América Latina, África e Ásia. De maneira similar, os povos do mundo enxergam o Brasil nesse papel no esporte, com destaque para o futebol, claro. Esporte que pode ser praticado sem equipamentos, com bolas e campos improvisados, ou seja, que pode ser praticado pelos pobres do mundo.

Não fique de fora dessa festa popular! Venha assistir à estreia brasileira nessa quinta-feira, 24/11 às 16h no novo endereço do Centro Cultural Benjamin Péret, nosso querido CCBP. Fica bem perto da estação de metrô Anhangabaú, no centro de São Paulo, Rua Conselheiro Crispiniano, 73. Teremos tudo que uma torcida raiz pede, fumaça, fogos, bateria e muita bagunça. Lula Presidente e Brasil Hexa!


COTV

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.