Por quê estou vendo anúncios no DCO?

Crise

Montenegro não aprova sanções contra a Rússia

Luta política interna revelou que o governo de Montenegro não tem uma posição unificada acerca das sanções contra a Rússia


─ RIA Novosti, tradução do DCO ─ O governo montenegrino, em uma reunião na quinta-feira (17), não conseguiu aprovar sanções específicas contra a Rússia devido a divergências entre os apoiadores do primeiro-ministro Zdravka Krivokapic e do vice-primeiro-ministro Dritan Abazovic.

O Parlamento de Montenegro, por iniciativa de Abazovich e seus apoiadores, em fevereiro, aprovou um voto de desconfiança ao Gabinete, chefiado pelo primeiro-ministro Krivokapic. O presidente do país, Milo Djukanovic, entregou então um mandato para formar um novo governo a Abazovich. A data para a aprovação da nova composição do Gabinete pelo Parlamento ainda não foi aprovada. A cisão no governo, que está finalizando o mandato técnico, dificulta a tomada de decisões.

O Ministério das Relações Exteriores de Montenegro, que é chefiado pelo ministro Djordje Radulovic, próximo ao vice-primeiro-ministro Abazovich, anunciou no final de fevereiro o apoio a todas as sanções da UE contra a Federação Russa e o fechamento do espaço aéreo do país para aeronaves russas a partir de março 4, que não voava desde o início da pandemia de COVID-19. Um decreto do governo sobre medidas restritivas específicas também não foi adotado na quinta-feira (17).

“A reunião do governo não foi suspensa. O primeiro-ministro se levantou e disse que acabou por hoje, e ele não vai voltar hoje, podemos discutir eletronicamente”, disse Abazovich a repórteres. Segundo ele, a reunião do Gabinete na quinta-feira (17) parou quando os ministros chegaram aos itens da agenda sobre sanções contra a Rússia. Anteriormente, a comissão de sistema político e questões econômicas sob a liderança do vice-primeiro-ministro aprovou algumas medidas. No entanto, o chefe de governo insistiu que a decisão sobre as sanções deve ser tomada pelo Ministério das Relações Exteriores de Montenegro, e não pelo Gabinete de Ministros.

“O primeiro-ministro Krivokapic propôs outras soluções que, na minha opinião, ele queria chegar a uma conclusão sobre sanções sem sentido. As razões são desconhecidas para mim, mas posso supor […] As soluções que foram propostas pela comissão foram claras e inequívocas, consistente com o que o Conselho da UE aprovou, todos os estados membros da UE e alguns outros países não membros”, disse o vice-primeiro-ministro e acrescentou que Montenegro está agora “do lado da Síria e da Venezuela, que não impuseram sanções contra a Rússia”. Na sua opinião, isso é inaceitável para um país no caminho da integração europeia de um membro da OTAN.


COTV

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.