Por quê estou vendo anúncios no DCO?

Época da liderança alemã na União Europeia está chegando ao fim


Segundo a colunista Maria Tadeo, a crise ucraniana acabou por expor a forte dependência alemã da Rússia, o que demonstrou ao bloco as falhas de seu modelo econômico.

“A dependência alemã da Rússia expôs as falhas de seu modelo econômico – uma indústria de alta intensidade operando com gás barato, junto com a cegueira de sua classe política em relação à sua dependência do Kremlin. Enquanto Berlim ainda está tentando superar o choque, o Sul da Europa está se tornando cada vez mais assertivo. Não se trata de vingança pelos anos da política de austeridade, liderada pela Alemanha, mas uma recalibragem de forças, processo que pode, em última análise, resultar em uma UE mais saudável”, salienta a publicação.

Caso espanhol
Teresa Ribera, ministra espanhola para a Transição Energética, reagiu duramente às declarações da Comissão Europeia exigindo que todos os 27 países-membros do bloco limitassem o seu consumo de energia em 15% nos próximos meses.

Conforme a Bloomberg, ao criticar a Alemanha, a ministra sublinhou que a Espanha investiu muito nas energias renováveis, mantendo laços mínimos com a Rússia e “vivendo de acordo com as suas possibilidades”. Esta menção referia-se à repreensão por parte da Alemanha, expressa durante a crise da dívida pública europeia em relação aos países do Sul da Europa, de que eles “viviam acima das possibilidades”.

“Esta foi uma demonstração incomum de bravata para um país como a Espanha, que tradicionalmente tem sido beneficiário líquido do financiamento europeu. […] As declarações de Ribera refletem a falta de desejo por parte da Alemanha de admitir o fracasso monumental das suas políticas em relação à Rússia”, diz o artigo.

“As reações às declarações da ministra espanhola dividiram-se entre aqueles que acham que é hora de apontar as inconsistências de Berlim e aqueles com medo de que tal linguagem arrisque inflamar velhas tensões”, escreve a autora.

A Bloomberg lembra que a Espanha foi um dos primeiros países a tocar o sinal de alarme quanto à crise energética, assim que a Rússia começou a cortar o fornecimento. Salienta-se que, ainda no final do ano passado, o mercado começou a demonstrar sinais de estresse.

Madrid afirmou na época, diz a edição, que precisava melhorar a interconexão energética com o resto da Europa. As autoridades europeias não deram ouvidos a estas críticas, vendo-as como mais um exemplo do “sul à procura de uma esmola”. Ainda assim, a energia só se tornou um problema europeu quando os riscos para a Alemanha passaram a ser muitíssimo graves.

“Isso reflete o problema de formação da agenda na Europa. [… ] É mais do que tempo de as propostas do Sul serem levadas mais a sério. A mudança de equilíbrio, caso possa melhorar o processo de tomada de decisões, deve ser saudada por Bruxelas”.

Para concluir, Tadeo salienta que, tendo em conta a interdependência dos países do bloco, as crises europeias, na sua essência, têm um caráter circular: uma recessão na Alemanha, que é a maior economia da Zona Euro, vai prejudicar todos os países.

“Considerando a envergadura do fiasco alemão e os desafios que ele coloca para toda a Europa, Berlim não deve se surpreender ao ver o Sul pedindo para ser mais ouvido”, escreve a edição.
Um eventual confronto entre o Norte e o Sul pode levar a um retrocesso na tomada de decisões na Europa, após uma década de solução conjunta de problemas.


COTV

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.