11 de novembro – Dia Nacional de Greve – paralisar as escolas

Compartilhar:

O sindicato dos professores estaduais de São Paulo, APEOESP, aderiu à convocação da CUT e demais centrais sindicais para o Dia Nacional de Greve, que ocorrerá na próxima sexta-feira, 11 de novembro

Para tanto marcou a assembleia da categoria para as 14 horas, na Praça da República, em frente à Secretaria Estadual de Educação. Logo após a realização da assembleia os professores, estudantes e demais trabalhadores da educação, em unidade com trabalhadores de outras categorias, participarão do Ato na Praça da Sé, marcado para as 16h30min.

Neste momento de consolidação do golpe de Estado em nosso país, em que o governo golpista de Michel Temer busca implantar, seja através do Congresso Nacional, por Medida Provisória ou pelo STF, uma séria de medidas de ataques aos direitos dos trabalhadores, os professores não podem se abster da luta, ainda mais que estão na mira desses ataques, com o congelamento das verbas da educação por 20 anos, “Reforma do Ensino Médio”, “reforma da previdência”, a volta da lei da mordaça, além do aumento do custo de vida.

Em todo o País, centenasde escolas estão ocupadas por estudantes contrários a essas medidas de ataque. Em São Paulo, o governo Geraldo Alckmin utiliza da força policial para não permitir ocupações.

A direção do Sindicato deve deixar claro que com o avanço do golpe irão se aprofundar os ataques à categoria, e que portanto somente a unidade dos trabalhadores, rumo à construção de uma greve geral, pode derrotar o golpe e suas medidas de ataque. As lutas parciais e isoladas, ou por setores não serão capazes de barrar os ataques aos trabalhadores. Dia 11 de novembro deve ter como objetivo a construção dessa unidade não só entre professores, estudantes e funcionários, mas principalmente a unidade da classe trabalhadora.

artigo Anterior

Sem luta contra o golpe, as ocupações serão acuadas

Próximo artigo

Perseguição: imprensa distorce decisão judicial para atacar MST

Leia mais

Deixe uma resposta