Henrique Áreas de Araujo

Militante do PCO, é membro do Comitê Central do partido. É coordenador do GARI (Grupo por Uma Arte Revolucionária e Independente) e vocalista da banda Revolução Permanente. Formado em Política pela Unicamp, participou do movimento estudantil. É trabalhador demitido político dos Correios e foi diretor da Fentect (Federação Nacional dos Trabalhadores dos Correios)

Coluna

Palestina revelou a farsa do identitarismo e do ‘decolonialismo’

"A imprensa e os meios oficiais do imperialismo abandonam descaradamente a demagogia 'decolonial'"

Nos anos recentes, os setores mais poderosos da burguesia imperialista adotaram o identitarismo como uma espécie de ideologia oficial. A demagogia com as ditas “opressões” está em todos os jornais, está nas redes sociais dos governos imperialistas, em suma, o imperialismo parece ter se transformado no maior preocupado com a vida das pessoas oprimidas.

Acreditou e ainda acredita, quem quiser! Amplos setores da esquerda pequeno-burguesa acreditaram e foram cooptados pelo imperialismo.

Intelectuais limitados ou simplesmente venais enchem a imprensa e as universidades com artigos defendendo as mais absurdas ideias, teorias anticientíficas e reacionárias disfarçadas de progressistas.

Dentre algumas das ideias identitárias, o “decolonialismo” é muito comentado. Em termos gerais, seria uma luta contra um colonizador que ninguém sabe direito qual é e um opressor que ninguém define direito quem é. Na verdade, é a luta contra um colonialismo que não existe mais, que na melhor das hipóteses ficou na história séculos atrás e na pior nunca existiu de fato como eles tentam explicar.

Outra característica dos identitários é transformar a luta de classes em luta racial. Não há mais classes, mas apenas raças. O europeu é opressor e ponto final. O branco é opressor e ponto final. Mais ou menos como a ideia expressa pela ex-assessora da ministra da Igualdade Racial, Anielle Franco, que acusou a torcida do São Paulo de ser “paulista, branca, europeia, safada”. Ou seja, na cabeça do identitário o paulista genericamente seria europeu. O europeu seria safado. E todos seriam brancos. Não é a luta contra um opressor de verdade, mas uma “luta” contra o povo todo.

Mas eis que a realidade se impõe. O povo mais esmagado do mundo está sendo massacrado por um Estado fortemente armado. Expliquemos melhor.

O povo palestino, árabe, seria o típico povo escuro. O Estado de Israel é invasor. Os ingleses (ou seja, europeus safados) colonizaram a palestina. Com a decisão da ONU de criar o Estado de Israel os ingleses foram permitindo que os israelenses se armassem até que pudessem sair do país. Ou seja, Israel não é nada mais do que um instrumento do imperialismo para manter a colonização dos palestinos.

Mas a coisa fica pior. Quem chegou para ocupar a região e formar o Estado de Israel foram europeus (brancos safados). Esses europeus iniciaram um processo de expulsão dos palestinos de suas terras. A história se desenvolve sempre nesse sentido até que a Faixa de gaza e a Cisjordânia tornam-se verdadeiros campos de concentração.

Isso sem contar que toda o imperialismo, ou seja, colonialistas, apoiam Israel nesse massacre.

Dá para ter alguma dúvida de que estamos diante de um caso real de massacre de tipo colonial? Não dá. E onde estão os identitários? Não sabemos.

Logicamente que o imperialismo, depois de tanta campanha demagógica, agora sofre com isso, diante da escancarada ação israelense de limpeza étnica. Há um nítido abalo no apoio que o imperialismo conseguiu com essa demagogia.

Mas é fato também que a energia que os identitários encontram para hostilizar qualquer um que desagrade seus dogmas religiosos eles não encontram para defender os palestinos.

A imprensa e os meios oficiais do imperialismo abandonam descaradamente a demagogia “decolonial”.

A palavra de ordem do imperialismo “decolonial” é: todo apoio ao massacre e à limpeza étnica promovidos pelo Estado de Israel.

* A opinião dos colunistas não reflete, necessariamente, a opinião deste Diário

Gostou do artigo? Faça uma doação!

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.