Análise Política da 3ª

Rui analisa as ONGs golpistas da Geórgia em programa da Rádio

No último programa, Rui Costa Pimenta tratou de diversos temas internacionais e nacionais, com destaque especial para a questão da Geórgia, que deve servir de aviso para o Brasil

Na última terça-feira (14), foi ao ar o programa Análise Política da 3ª, pelo canal da Rádio Causa Operária, do YouTube. O programa ocorre todas as terças-feiras, às 16 horas. Nele, Rui Costa Pimenta analisa os principais acontecimentos da última semana, mas em um formato de entrevista, que difere da tradicional Análise Política do sábado, feita em forma de exposição e perguntas. 

No último programa, foram debatidos diversos temas, nacionais e internacionais. O primeiro a ser abordado foi a declaração do Papa Francisco, que comparou Daniel Ortega a Hitler, dizendo que o regime da Nicarágua seria uma ditadura grosseira, igual à da Alemanha durante o período em que foi dominada pelos nazistas.

Ao comentar o assunto, Rui lembrou, primeiramente, que a Igreja Católica foi uma importante aliada de Hitler naquela época, e mais ainda de Benito Mussolini, o ditador fascista da Itália. Portanto, não dá para entender por que a comparação agora teria um viés negativo para o Papa. De qualquer forma, a declaração dada nesse momento, em que a campanha do imperialismo contra Ortega está em alta intensidade, demonstra que é uma jogada conjunta com o imperialismo. 

Outro tema comentado foi a falência dos bancos nos EUA, começando pelo Banco do Vale do Silício, o 16º maior banco do país, e seguido pelo Signature Bank, de Nova Iorque. Trata-se da segunda maior falência bancária da história dos Estados Unidos, perdendo apenas para os bancos dos Lehman Brothers, de 2008.

Ao comentar o tema, o companheiro Rui afirmou que o número de bancos que faliram é muito mais alto do que o que tem sido declarado. A estimativa é que são cerca de duas dezenas de bancos regionais que já faliram nos Estados Unidos. Trata-se de uma crise gravíssima. Caso não tivesse havido interferência do governo com rapidez, teria ocorrido um afundamento geral dos bancos e empresas norte-americanas. 

Rui comenta também que essa crise é uma crise em cima da crise anterior, de 2008. A economia mundial não se recuperou dessa crise, seus efeitos sobre a economia não foram superados. Trata-se, portanto, de uma segunda onda da crise de 2008. Há um grande receio da possibilidade de uma falência geral por parte dos economistas e analistas. Tudo isso é um demonstrativo de que o sistema capitalista, graças à especulação financeira, que ocorre em grande escala, um evento como esse pode levar a uma derrubada geral do sistema. Além disso, apenas o fato de o governo norte-americano ter tido que intervir na economia do país para salvar os bancos já é um sintoma de uma crise.

O tema principal do programa foi a questão da Geórgia. O Parlamento georgiano tentou aprovar uma lei que obrigasse as ONGs que atuam no país sinalizasse, com uma espécie de aviso, que o financiamento que elas recebem têm origem estrangeira. Não se trata de nenhuma proibição de sua atuação e nem nada do tipo, é uma simples indicação. Isso desencadeou uma série de protestos muito violentos, acusando a lei de ser uma “lei russa”. Os protestos quase derrubaram o governo. 

A opinião do presidente nacional do PCO é que, primeiramente, fica claro que todas essas ONGs têm um grande receio de que haja uma maior publicidade de tudo o que elas estão fazendo durante seu trabalho no governo. Significa, portanto, que elas agem “nas sombras”, ou seja, tomando diversas ações clandestinas e que não seriam bem vistas pelo público.

Outra coisa que impressiona é o poder dessas organizações, todas controladas de fora da Geórgia, sobre as instituições georgianas. Ao fim e ao cabo, as ONGs conseguiram impedir, por meio de uma mobilização de um amplo setor da classe média, que uma lei fosse aprovada pelo Parlamento georgiano. 

É preciso ressaltar que isso deve servir de aviso para o Brasil. Aqui, há várias dessas Organizações, e muitas delas tiveram um papel importante durante o golpe de Estado que derrubou Dilma Rousseff. Ainda que elas não tenham sido o fator fundamental para a derrubada do governo do PT, elas encamparam diversas campanhas durante as suas gestões. Entre elas, há a campanha contra Belo Monte, que projetou Sônia Guajajara, uma falsa liderança indígena, e a campanha pelo “Não Vai ter Copa”, que projetou Boulos, a falsa liderança dos sem teto. 

A esquerda nacional procura ocultar essa realidade, mas o caso da Geórgia coloca tudo à tona. Tanto aqui quanto lá na Geórgia, não são organizações inofensivas. Elas são todas diretamente financiadas e controladas pelo imperialismo. O que ocorreu na Geórgia foi uma espécie de golpe de estado. 

Muitos outros temas ainda foram comentados no programa. Uma parte deles, inclusive, em resposta às perguntas do público que acompanhou a discussão ao vivo. O programa vai ao ar todas as terças-feiras, às 16h, no canal da Rádio Causa Operária. Portanto, para assisti-lo ao vivo e interagir com o companheiro Rui e os outros companheiros em tempo real, basta sintonizar no canal neste horário. Caso queira assistir o último programa na íntegra, basta acessá-lo através do vídeo abaixo:

Gostou do artigo? Faça uma doação!

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.