Norte americanos sob ataque

Resistência Islâmica no Iraque já feriu 24 soldados dos EUA

As bases dos EUA na Síria e no Iraque se tornaram alvos dos grupos de resistência iraquianos que já aderiram formalmente à guerra contra “Israel”

Desde o início da operação Dilúvio de Al-Aqsa já fora 24 soldados norte americanos feridos em bases na Síria e no Iraque. Quem os atacou não foi o Hamas mas grupos de resistência ao imperialismo no Iraque.

Vinte membros do pessoal americano sofreram ferimentos leves em 18 de outubro, quando pelo menos dois drones de ataque de sentido único atacaram a base militar de al-Tanf no sul da Síria, afirmou o Comando Central dos EUA (CENTCOM). Um dos drones foi abatido. Todo o pessoal ferido foi enviado de volta ao serviço, de acordo com o CENTCOM, e não houve danos às instalações militares.

No mesmo dia, outros quatro membros do pessoal americano sofreram ferimentos leves em dois ataques separados de drones contra as forças dos EUA e da coalizão estacionadas na base de al-Asad, no oeste do Iraque, disse o CENTCOM. Os EUA abateram os drones de ataque de sentido único, mas os destroços de um deles destruíram um hangar que continha pequenas aeronaves, informou o CENTCOM. Todo o pessoal ferido voltou ao serviço.

Houve um civil americano morto no período, mas os EUA negam que ele tenha sido abatido pelos ataques a drone, afirmam que foi um ataque cardíaco. 

O general brigadista Pat Ryder, secretário de imprensa do Pentágono, disse na terça-feira que, na semana passada, as forças dos EUA e da coalizão foram atacadas pelo menos 10 vezes no Iraque e três vezes na Síria “por meio de uma combinação de drones de ataque de sentido único e foguetes”.

“O que estamos vendo é a perspectiva de uma escalada mais significativa contra as forças e o pessoal dos EUA em toda a região a curto prazo, vindo das forças de procuração iranianas e, em última instância, do Irã. Sempre reservamos o direito de nos defender e nunca hesitaremos em agir quando necessário para proteger nossas forças e nossos interesses no exterior” disse Ryder.

Os vários grupos de resistência islâmica no Iraque parecem ser o segundo maior aliado do Hamas além do próprio Hesbolá do Líbano que está em guerra de atrito com o exército de “Israel”. Os Ansar Alá (Hutis) do Iêmen também atacaram “Israel” mas nenhum de seus mísseis conseguiu chegar sendo interceptados pela marinha dos EUA no Mar Vermelho. 

Gostou do artigo? Faça uma doação!

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.