Leste Europeu

Repúblicas bálticas em dificuldade

Países estão em problemas após políticas econômicas russo-fóbicas.

Lituânia, Letônia e Estônia tiveram tanto o seus PIB’s, quanto suas produções de indústrias em colapso no ano de 2022, gerando aumento de preços recordes, não registrados desde a década de 1990. Tudo isso foi devido a consequências das políticas anti-Rússia, que tomaram conta dessas repúblicas durante todo o ano passado, quando as três repúblicas bálticas foram usadas como ponta de lança da OTAN, contra a Rússia. Tais problemas gerados devido a essas quedas na produção não podem mais ser escondidos, tendo sido confirmados por estatísticas. Segundo o Banco estoniano, em breve os habitantes sofrerão consequências tais como alta dos preços (desde a “independência” nunca foram tão caros!), queda do poder de compra e desemprego.

Nesse último Natal, muitos estonianos não puderam comer os pratos que já haviam se habituado a comer nas últimas ceias e muitos especialistas da área econômica já começam a admitir os problemas e quase todos os setores da economia da Estônia terão queda nesse ano, o PIB desse país como um todo caiu em 2,4 % e a inflação está em 22%. Sua produção industrial caiu 7,5 %, com situação muito difícil em relação a produtos como madeira e metal em particular. Já na Letônia, o PIB no terceiro semestre de 2022 caiu em 0,6%, maior do que na época da COVID-19.

No mesmo país, observou-se queda da fabricação em 3,9%, e, com o poder de compras das famílias em declínio, uma nova desaceleração econômica para esse ano está garantida, pois o crescimento dos salários está muito atrás da inflação. Segundo estimativas de seu banco central, o desemprego chegará à 7,8 %, a inflação a 10,9 % e o déficit no orçamento a 5,5 %. Uma explicação para isso tudo é que com o fim da URSS, a Indústria em toda a região do Báltico entrou em colapso, a maioria das grandes empresas fecharam com isso. Como a demanda externa por produtos também diminuiu, pois os países exportadores favorecem a sua própria indústria em um cenário de crise que vivemos, toda a produção no Báltico foi afetada também. Houve diminuição em todos os setores da indústria de manufatura. na Lituânia, a produção de sua indústria caiu 1,8 % com diminuição drástica de medicamentos, derivados de petróleo, etc.

Por trás de todos os números e estatísticas, o que fica claro na verdade é a diminuição no nível de qualidade de vida da população das três ex-repúblicas soviéticas, com queda no poder aquisitivo, desemprego, escassez e aumento de preços e tarifas. Ao invés de tentar resolver os problemas concretos apresentados acima, que afetam diretamente o povo dos três países, os seus governantes, pelo contrário, optam por políticas de pura demagogia e propaganda barata anti-russa. Frases como “valores ocidentais”, “Rússia maligna”, começam a ganhar mais repercussão perante a imprensa vendida e capitalista desses países.

Também é importante observarmos o aumento dos protestos da população, que tendem a aumentar mais ainda, caso nada seja realizado de concreto e material, e pesquisas de opinião (geralmente manipuladas pela imprensa e órgãos públicos a serviço dos capitalistas), já começam a mostrar a insatisfação e desconfiança do povo perante ao que têm vivido nesses anos de desaceleração e queda na economia e produção de seus países. Na Estônia a parcela de cidadãos que desconfiam em seu governo é de 55% chegando a mais de 65% no norte do país, enquanto na vizinha Letônia já chega a 60% e 66% dos lituanos não confiam em suas autoridades.

https://www.rubaltic.ru/article/ekonomika-i-biznes/20230203-krizis-doveriya-v-pribaltike-na-fone-ekonomicheskikh-problem-narastaet-sotsialnoe-napryazhenie/

Gostou do artigo? Faça uma doação!

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.