Editorial

Prorrogação da trégua confirma fracasso da invasão a Gaza

Israelenses cedem enquanto eles e seus aliados imperialistas capengam para derrotar a resistência palestina

Foi realizado, nessa segunda-feira (27), um acordo, mediado pelo Egito e pelo Catar, para prorrogar a trégua entre o Movimento de Resistência Islâmica (Hamas, na sigla árabe) e o Estado de Israel em mais dois dias. Durante mais dois dias, serão realizadas trocas entre prisioneiros palestinos e israelenses, sob os mesmos termos da trégua anterior.

O acordo original, que entrou em vigor na sexta-feira e estava programado para expirar no início da manhã de terça-feira, estipula a libertação de 150 palestinos em troca da Resistência libertar 50 prisioneiros israelenses. Agora, o Hamas terá de soltar novos 20 prisioneiros israelenses em troca da libertação de 60 palestinos presos por Israel.

A prorrogação da trégua confirmou novamente o fracasso da invasão israelense à Faixa de Gaza. Com o objetivo de “erradicar o Hamas” e expulsar todos os palestinos da região para o Egito, Israel falhou ao adentrar na Faixa, sofrendo inúmeras baixas no combate contra a resistência armada palestina.

Israel também não conseguiu estabelecer base operacional no norte de Gaza, nem expandir o controle para o sul. Assim, diante do fracasso militar, teve de aceitar a troca de prisioneiros com o Hamas, que lidera a resistência palestina. A prorrogação da trégua também indica que Israel ainda não tem condições de retomar sua operação militar em Gaza.

O Hamas conseguiu um feito histórico ao obrigar Israel a libertar mulheres e crianças presas há anos pelo Estado sionista. A libertação dos reféns foi seguida de uma intensa mobilização popular para receber os prisioneiros palestinos, que estenderam bandeiras do Hamas tanto na Cisjordânia quanto na Faixa de Gaza, mostrando o apoio ao movimento islâmico.

A situação na Cisjordânia, onde a Autoridade Palestina, em crise, tem dificuldade de conter a mobilização popular, enquanto Israel assassina centenas de palestinos na região, coloca a possibilidade de uma nova Intifada. Assim, o conflito se ampliaria a leste de Israel, onde diversos grupos armados estão organizados e teriam apoio da população árabe local.

Os israelenses precisam ceder enquanto eles e seus aliados imperialistas capengam para derrotar a resistência palestina. O genocídio promovido na Faixa de Gaza não será suficiente para derrotá-la. Ainda, o conflito está se ampliando. O partido islâmico libanês Hesbolá destruiu inúmeras bases militares no norte de Israel, enquanto o Ansar Allah (conhecidos como Hutis), do Iêmen, ataca os sionistas a partir do sul da Península Arábica.

No cenário internacional, os israelenses também estão isolados, sendo apoiados apenas pelo imperialismo, enquanto países árabes, pressionados pelas mobilizações populares em seus territórios, começam a atuar para impedir o massacre israelense contra palestinos.

Gostou do artigo? Faça uma doação!

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.