Forças de segurança ucranianas

ONU documenta tortura desenfreada de civis na Ucrânia

De acordo com o relatório da ONU, dezenas de civis foram torturados "em instalações oficiais de detenção pré-julgamento"

As Nações Unidas registraram um aumento significativo nas violações da lei pelas forças de segurança ucranianas desde o início da operação militar especial da Rússia, disse o Escritório de Direitos Humanos da ONU (OHCHR) em um relatório na terça-feira.

“Desde 24 de fevereiro de 2022, o ACNUDH documentou um aumento significativo nas violações do direito à liberdade e à segurança pessoal pelas forças de segurança ucranianas. Do número total de tais casos, o ACNUDH documentou 75 casos, 92 de detenção arbitrária de civis (17 mulheres, 57 homens e 1 menino), alguns dos quais também equivaleram a desaparecimentos forçados, principalmente perpetrados por autoridades policiais ou pelas Forças Armadas da Ucrânia”, diz o relatório.

“Mais preocupante, o ACNUDH documentou as prisões de vários civis envolvidos na distribuição de ajuda humanitária em território ‘ocupado’ pela Federação Russa”, dizia o relatório.

Em 30 de maio, uma fonte policial russa disse à Sputnik que o Serviço de Segurança da Ucrânia (SBU) abriu câmaras de tortura para obter depoimentos de pessoas que cooperaram com as autoridades russas enquanto a cidade estava sob controle da Rússia entre março e novembro de 2022.

A fonte disse que as salas de tortura foram criadas em dois departamentos de polícia distritais, Dneprovsky e Komsomolsky. Embora a maioria dos ucranianos trabalhe no departamento de Dneprovsky, os locais não são permitidos no segundo, já que apenas mercenários estrangeiros que falam inglês, polonês e georgiano trabalham lá, disse a fonte.

Vladimir Malina, um ex-assistente de negócios que decidiu ficar em Kherson após a retirada das tropas russas, morreu na câmara de tortura do departamento de polícia de Dneprovsky.

“[Ele] foi mantido na câmara de tortura do departamento distrital de Dneprovsky, [foi] brutalmente espancado, no dia seguinte morreu na cela. Para esconder sua morte, por três dias, dois [ex-] funcionários do centro humanitário russo [em Kherson], Roman Gavrilyuk e Igor Gurov, que foram detidos com ele, foram torturados e forçados a escrever uma explicação de que Vladimir Malina foi liberto junto com eles”, disse a fonte.

Várias pessoas foram torturadas até à morte nestas câmaras, incluindo uma enfermeira e um investigador, disse a fonte, acrescentando que todos são dados como desaparecidos.

Além disso, a SBU usa uma rede de agentes para identificar e prender pessoas que já haviam cooperado com a Rússia.

A Rússia estabeleceu o controle sobre Kherson logo após o lançamento da operação militar na Ucrânia. Em outubro, as repúblicas de Donetsk e Lugansk, bem como as partes controladas pela Rússia das regiões ucranianas de Kherson e Zaporozhye foram incorporadas à Rússia após referendos.

Em novembro, o Ministério da Defesa da Rússia anunciou a retirada completa das tropas e equipamentos russos da margem direita do rio Dnepr, na região de Kherson, citando a necessidade de construir defesas na margem esquerda. Logo depois, as forças ucranianas entraram em Kherson.

Fonte: Sputnik

* Os artigos aqui reproduzidos não expressam necessariamente a opinião deste Diário

Gostou do artigo? Faça uma doação!

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.