Por quê estou vendo anúncios no DCO?

Copa do Mundo de 1958

O inesquecível chapéu de Pelé na zaga da Suécia

Primeiro dos dois gols de Pelé na final da Copa do Mundo de 1958 é até hoje um dos mais belos gols das Copas.


A Copa do Mundo de 1958 foi um marco importantíssimo para o futebol brasileiro, o futebol arte. Depois de décadas de espera, a Seleção Brasileira finalmente conseguiu se impor e com isso conquistou de maneira indubitável os corações de todos os apaixonados pelo futebol. Um dos vários lances antológicos dessa competição foi o quarto gol da final, quando Pelé deu um “chapéu” no zagueiro sueco e chutou com categoria para o fundo do gol.

O lance começa com um lançamento açucarado do maior lateral-esquerdo da história, Nilton Santos. Pelé escapa dos agarrões de um dos zagueiros e domina no peito como só ele fazia, o outro zagueiro, Gustavsson (outro jogador que ficou famoso por perder para Pelé), corre desesperado enquanto a bola pinga na sua frente.. sem qualquer pudor, simplesmente dá uma solada na coxa direita de Pelé, que mesmo assim toca a bola por cima dele e completa sem deixar a bola cair, no canto do goleiro sueco.

O Brasil já tinha virado o jogo com dois gols de Vavá, quando Pelé fez o terceiro gol brasileiro até os suecos já torciam para a nossa Seleção, que jogou a final da Copa de azul justamente porque os anfitriões usam camisa amarela também. Após sorteio, a delegação liderada por Paulo Machado de Carvalho tive que correr para improvisar o uniforme. Pelé ainda fez mais um para o Brasil no final do jogo, repetindo o placar de 5 x 2 imposto aos franceses na semifinal.

Como muitos jornalistas apostam na falta de memória do público, chegaram a decretar que a final da última Copa entre Argentina e França teria sido a maior final de todos os tempos. Acima dos seis gols anotados no final de 2022, a primeira decisão de Copas entre sul-americanos e europeus detém até hoje o recorde de gols em finais, com sete gols, cinco do Brasil e dois da Suécia. Além do recorde de Pelé como o mais jovem a marcar gol numa final, éramos os primeiros a conquistar uma Copa fora do próprio continente.

A imprensa francesa, que estava ainda na ressaca de tomar três gols do nosso camisa 10 na rodada anterior, passou a chamar Pelé de rei. Mas vale ressaltar que o título já havia sido dado pelo nosso melhor cronista esportivo, Nelson Rodrigues, em março daquele ano. Após um jogo entre Santos e América (RJ), diante da altivez e categoria do jovem de 17 anos, decretou em tom profético: “Com Pelé no time, e outros como ele, ninguém irá para a Suécia com a alma dos vira-latas. Os outros é que tremerão diante de nós”. Não só tremeram, como acabaram tendo que aplaudir e reverenciar a majestade do futebol arte.

Gostou do artigo? Faça uma doação!


COTV

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.