Vinícius Rodrigues

Militante do Partido da Causa Operária no Rio de Janeiro e membro da Direção Nacional da Aliança da Juventude Revolucionária (AJR).

Tudo nosso

Maduro deve invadir a Guiana e Lula, a Guiana Francesa

É inaceitável a presença de um entreposto militar da França com fronteira na Amazônia brasileira, o Brasil deve libertar a última colônia da América do Sul

Na Venezuela o governo nacionalista de Nicolas Maduro iniciou uma campanha para retomar o território venezuelano roubado pelos ingleses, a Guiana Essequibo. Um referendo foi convocado para que a população possa votar em defesa da anexação do território. A reivindicação da Venezuela é legítima mas outra disputa territorial é ainda mais importante, a colônia francesa na Amazônia. A última colônia no continente sul-americano deve ser liberta pela ação dos trabalhadores brasileiros!

Enquanto a questão da Guiana é importante, a Guiana Francesa é uma questão existencial para todos os países amazônicos. A França faz de tudo para esconder que ainda tem um entreposto militar. Para falar que não é uma colônia, afirma que a Guiana é a França. A situação é tão ridícula que a maior fronteira da França oficialmente não é nem com a Espanha e nem com a Alemanha, mas com o Brasil!

A ideia de anexar o território não é nova, durante as guerras napoleônicas o príncipe regente Dom João tomou a decisão acertada de invadir a Guiana, ela se tornou Caiena brasileira. Com o Tratado de Viena, o Brasil devolveu o território aos franceses, algo que não foi feito com o outro território tomado, a província Cisplatina. Dom João priorizou o território mais economicamente relevante na época, a foz do Rio da Prata. Contudo hoje, sabendo a importância da Amazônia, a Guiana Francesa, e principalmente a ameaça militar que ela representa, se tornam muito mais relevantes.

A reivindicação brasileira inclusive teria muita legitimidade no âmbito internacional. Uma colônia em territórios americanos é algo totalmente inaceitável, é uma espécie de “Israel” que se sustenta não por meio da propaganda mas sim por meio de nunca aparecer. Uma ação brasileira no entanto seria apoiada por todos os oprimidos do mundo. Basta imaginar um caso atual. Se o Brasil adentrasse o atual confronto no Sael africano apoiando o Níger, o Mali e o Burquina Fasso teria amplo apoio mundial. A Guiana Francesa é equivalente a esses países antes mesmo de declararem independência formal.

Maduro deu o sinal, a porta está aberta. Se o Essequibo for anexada, a questão da Guiana Francesa deve ser colocada imediatamente em pauta. Não como algo isolado, mas como uma campanha geral de defesa da Amazônia ante os diversos ataques do imperialismo a esta gigantesca riqueza do Brasil.

Guiana Essequibo é Venezuela!

Guiana Francesa é Brasil!

Gostou do artigo? Faça uma doação!

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.