Por quê estou vendo anúncios no DCO?

Manifestações de classe média

Imperialismo prepara uma revolução colorida no México?

Após ataque de Obrador contra Instituto golpista que controla as eleições, imperialismo impulsiona atos em todo o país

Manifestação no México

O presidente mexicano, Andrés Manuel López Obrador, acaba de aprovar uma lei reduzindo o orçamento e o alcance do Instituto Nacional Eleitoral (INE), órgão supostamente responsável por fiscalizar e organizar as eleições no México.

A medida desagradou o imperialismo, que busca realizar uma intensa campanha contra López Obrador, chegando ao ponto de impulsionar manifestações de rua como a que ocorreu na praça Zócalo, localizada no centro da Cidade do México, no último domingo (26). Segundo matéria do jornal O Globo, houve ainda manifestações em outras cem cidades do país com a palavra de ordem “no meu voto não se mexe”.

O projeto de lei já foi aprovado pelo Senado e agora o imperialismo procura pressionar a Suprema Corte mexicana para que esta considere a lei inconstitucional até as presidenciais de 2024.

O projeto de lei é uma das principais bandeiras defendidas por López Obrador desde que foi eleito, em 2018. O presidente mexicano ataca o INE desde 2006, quando perdeu as eleições para Felipe Calderón, candidato da direita conservadora, por 0,6 ponto percentual. Após a vitória de Calderón, López Obrador chamou o povo às ruas para defender sua candidatura, chegando até a realizar uma cerimônia de posse própria.

O INE é uma forma que a burguesia mexicana, pressionada pelo imperialismo, encontrou de interferir nas eleições. Trata-se de uma instituição antidemocrática que fiscaliza as doações realizadas e tem o poder, inclusive, de impugnar candidaturas consideradas irregulares. O Instituto também é responsável pela emissão de títulos de eleitores e pela organização de locais de votação.

A lei de López Obrador irá diminuir 85% da verba destinada ao INE, além de flexibilizar as regras para a aprovação de novas candidaturas, reduzir a pena para quem violar limites de financiamento e diminuir o período de organização das campanhas eleitorais.

López Obrador afirma que o INE é uma instituição corrupta, tomada por políticos conservadores. Um comitê do Congresso, no qual o partido do presidente, Morena, tem maioria, irá escolher quatro dos 11 representantes do conselho do INE, procurando reduzir a capacidade golpista do Instituto. A crise segue se intensificando, com ataques de López Obrador ao presidente do INE, o presidente mexicano chegou a chamá-lo de “racista” e “farsante” em algumas de suas entrevistas. Também afirmou que o Instituto tem um passado de envolvimento com fraudes eleitorais.

Ainda que López Obrador tenha sido eleito como um nacionalista extremamente moderado, semelhante a Alberto Fernández, na Argentina, a crise com o INE demonstra como a sua política tem entrado em choque com o imperialismo. Neste caso, não se trata de nenhuma política revolucionária, nem nada do tipo. É evidentemente apenas uma tentativa do presidente diminuir a pressão e o controle que o imperialismo exerce sobre as eleições no país, buscando impedir que as próximas eleições sejam fraudadas contra ele.

Não foi a primeira vez que uma de suas medidas desagradou o imperialismo. Em abril do ano passado, López Obrador já havia nacionalizado todas as reservas de lítio do México. E, em fevereiro deste ano, completou o processo assinando um decreto que transfere a responsabilidade das reservas do mineral para o Ministério de Minas e Energia do México. O presidente também afirmou que serão revisadas as concessões de todas as empresas estrangeiras que vinham realizando a mineração do lítio até então. Durante evento em que assinou o decreto, López Obrador afirmou: “O que estamos fazendo agora é nacionalizar o lítio para que não possa ser explorado por estrangeiros da Rússia, China ou Estados Unidos”.

Além disso, López Obrador também tem implementado uma política externa de apoio a Cuba e, em menor medida, à Rússia. Ele já classificou o bloqueio do imperialismo a Cuba como “desumano” e “medieval”. Também se recusou a participar da Cúpula das Américas, que ocorreu em junho do ano passado, por não terem sido convidados Cuba, Venezuela e Nicarágua. Em fevereiro deste ano, fez elogios aos médicos cubanos, que atuam em seu país, além de ter afirmado que a medicina cubana é uma das melhores do mundo.

Pode-se ver que a crise no imperialismo não só impulsionou à esquerda a política de López Obrador, mas também empurra à direita o imperialismo, que vem realizando atos golpistas contra o presidente mexicano, como uma intensificação da oposição no Congresso e a realização de atos de rua de uma classe média direitista, como no caso dos protestos contra a reforma eleitoral citado acima.

O imperialismo irá procurar impedir de todos os modos que Obrador se reeleja no próximo ano. Com a eleição de Joe Biden, há uma maior intensificação no golpismo dos EUA e uma tentativa de subjugar os países da América Latina. O México tem papel importante nisso pois é um dos maiores países latino-americanos, além de ser um dos mais próximos geograficamente dos EUA. Nesse sentido, fica evidente que a campanha contrária e o impulsionamento das manifestações em todo o país são para preparar a derrubada do governo.

Gostou do artigo? Faça uma doação!

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.