Arbítrio de Moraes demonstrou

“Fake News” é o que desagrada os detentores do poder político

Contestar um projeto de lei passou a ser crime

O mais novo desmando de Alexandre de Moraes, dessa vez desferido contra a plataforma de mensagens Telegram, expôs, de maneira clara, qual o objetivo daqueles que estão em uma cruzada contra o que chamam de “fake news”. Moraes ameaçou suspender a plataforma caso não parasse de veicular uma curta mensagem em que acusava o Projeto de Lei 2630 – o PL das Fake News – de acabar com a liberdade de expressão na internet. E mais que isso: Moraes obrigou o Telegram a enviar uma “errata” a seus usuários, dizendo que havia anteriormente enviado notícias falsas. O ato de Moraes, além de ditatorial, lembra os mais escabrosos casos jurídicos já testemunhados pela humanidade, como os Processos de Moscou e a Inquisição.

Com sua medida, Moraes, que é um dos grandes defensores da “caça” às “fake news”, mostrou o que ele e seus cúmplices querem: impedir que qualquer contestação seja proibida. Impedir alguém de contestar uma lei já é sinônimo de uma ditadura. No entanto, Moraes foi além e decidiu impedir o Telegram de contestar um projeto de lei. Quer dizer, é a declaração cabal da burguesia de que ninguém, a não ser ela própria, pode “se dar ao luxo” de ter opiniões sobre as leis que são feitas no Brasil. Em outras palavras, quem não detém o poder político e econômico na sociedade tem um único papel: obedecer.

A mensagem do Telegram é, inclusive, bastante modesta na crítica. Este Diário diria que o PL das Fake News irá acabar com o que ainda resta de liberdade de expressão no Brasil, uma vez que esse direito democrático já foi mutilado em inúmeras oportunidades. Ou seja, não só o PL deveria ser contestado, como boa parte da Legislação brasileira.

Não há outra forma de ver isso. As pessoas que querem aprovar o PL das Fake News vêem como crime o ato de simplesmente contestar a ordem vigente. É algo que jamais poderia ser admitido por alguém que se diga de esquerda, como o ministro da Justiça Flávio Dino e vários dos deputados que apoiam o projeto. Afinal, o papel da esquerda é justamente o de defender os oprimidos diante das injustiças praticadas pelos detentores do poder político e econômico.

Os defensores do PL das Fake News já tiraram sua carapuça. Cabe agora a esquerda, o movimento popular e os trabalhadores fazerem uma ampla campanha para que seja definitivamente retirado de pauta.

Gostou do artigo? Faça uma doação!

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.