Al Jazeera

Exército sionista destruiu depósitos de medicamentos em al-Shifa

O hospital já enfrentava cortes de energia e água, suspendeu a admissão de novos pacientes em 12 de novembro devido à falta de remédios e condições adequadas

Conforme relatos de fontes de dentro do Hospital al-Shifa, alvo de uma incursão das Forças de Defesa Israelenses (FDI) em 15 de novembro, ao canal de notícias catarense Al Jazeera, os soldados sionistas destruíram depósitos de medicamentos da instituição. O hospital já enfrentava cortes de energia e água, suspendeu a admissão de novos pacientes em 12 de novembro devido à falta de remédios e condições adequadas.

Além da destruição de suprimentos essenciais para o atendimento dos palestinos feridos, Omar Zaqout, funcionário do pronto-socorro do Hospital al-Shifa, relatou à Al Jazeera que os soldados detiveram e agrediram brutalmente alguns homens que buscavam refúgio no hospital. Eles foram interrogados no pátio do hospital, estando nus e diante de tanques de guerra.

Segundo a fonte do Al Jazeera, os soldados israelenses não trouxeram “qualquer ajuda ou suprimento, apenas terror e morte”, referindo-se à promessa de ajuda feita por Israel no sábado anterior aos bebês prematuros do hospital, dois dos quais faleceram devido à falta de energia.

Por sua vez, as FDI afirmaram ter “entregado equipamento humanitário e o deixado na entrada do hospital”, com vídeos nas redes sociais mostrando soldados carregando macas, incubadoras e caixas de equipamentos médicos.

Um médico entrevistado pela Al Jazeera, Ahmed El Mokhallalati, descreveu a presença de tanques israelenses dentro e ao redor do hospital, acompanhados de tiros e bombardeios. Ele enfatizou a situação aterrorizante para as famílias, civis e a equipe médica no hospital, que está enfrentando escassez de água e comida há seis dias.

Mokhallalati destacou que o posto de oxigênio dentro do hospital está inoperante, descrevendo a situação como um sistema totalmente colapsado, incapaz de fornecer assistência aos pacientes. Ele pediu à comunidade internacional que tome medidas para impedir as ações de Israel em Gaza.

O médico também mencionou que as pessoas no hospital não conseguem sair para buscar ajuda, mover pacientes ou procurar água e comida. O Hospital al-Shifa, que abriga três mil palestinos fugindo dos bombardeios israelenses, incluindo 36 bebês prematuros, está sob operação das FDI, que alegam a presença de centros operacionais do Hamas no subsolo e o uso do hospital como abrigo pelos combatentes. Antes da operação, o hospital estava cercado desde 11 de novembro.

Gostou do artigo? Faça uma doação!

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.