Palestina

Estupros e humilhações: como Israel trata palestinas

Suposto defensor dos direitos das mulheres no Oriente Médio, a tortura sofrida pelas palestinas foi tratada com a indiferença cúmplice que o imperialismo dedica aos aliados

Segundo o sítio norte-americano e anti-imperialista MintPress, no dia 10 de julho, soldados israelenses perpetraram humilhações contra mulheres palestinas em Al-Khalil (Hebron), desnudando cinco mulheres diante de seus filhos, conduzindo-as nuas pela casa e por fim, roubando suas joias, o que não teria sido um evento aleatório (“From humiliation to rape: The untold story of israel’s abuse of palestinian women“, Ramzy Baroud, 14/9/2023). É a avaliação do grupo de direitos humanos israelense B’Tselem, constando em um relatório publicado em 5 de setembro. Essa investigação expôs não apenas a brutalidade do episódio, mas também a sua conexão intrínseca com uma política mais ampla, deliberadamente direcionada a humilhar os árabes.

Segundo a investigação do B’Tselem divulgada por MintPress, “dezenas de soldados mascarados, com cães” invadiram a residência dos palestinos, “algemaram três membros da família”, incluindo um menor, “separaram homens de mulheres e crianças e iniciaram uma extensa busca neles e em sua casa”. O ponto culminante desse episódio degradante foi quando “soldadas mascaradas” ameaçaram uma mãe com um cachorro, forçando-a a se despir completamente na frente de seus filhos. O tratamento degradante se repetiu com outras quatro mulheres, forçadas a se deslocar nuas de cômodo para cômodo. Simultaneamente, outros soldados ocupavam-se roubando as joias da família, como revelou o relatório.

Os palestinos interpretaram o evento corretamente, como uma manifestação da barbárie israelense contra os invadidos. Conexões já foram estabelecidas entre este e diversos ataques a palestinos similares ocorridos em Jericó e Jerusalém, e o apelo por vingança emitido por grupos palestinos, incluindo coletivos de mulheres. Ainda segundo a supracitada reportagem de MintPress, em 5 de setembro, uma porta-voz de um grupo de mulheres em Gaza expressou a expectativa de que a resistência “não permaneça inativa diante deste crime hediondo”.

Ávido para defender os supostos direitos das mulheres no resto do Oriente Médio e em especial no Irã, a brutal tortura foi tratada com a proverbial indiferença que o imperialismo dedica aos crimes de seus aliados. Longe de representar um incidente isolado, a história desse episódio cruel destaca não apenas a violência física, mas também o terror infligido sobre as vítimas, especialmente as mulheres. Coerção, ameaça, humilhação e toda sorte de torturas tornaram-se ferramentas de um sistema opressor, que visa destruir não apenas as comunidades palestinas, mas também a própria dignidade do povo árabe.

Por fim, torna-se necessário destacar o quão mentirosa é a propaganda difundida pelos cínicos sionistas, de que Israel seria o único regime democrático no Oriente Médio. É tudo menos isso.

Gostou do artigo? Faça uma doação!

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.