Soberania nacional

Estatizar já a indústria aeroespacial brasileira!

Mais de 400 trabalhadores foram demitidos da Avibras após pedido de recuperação judicial feito pela empresa

Os trabalhadores da Avibras Indústria Aeroespacial, uma empresa brasileira fabricante de equipamentos bélicos e de defesa civil, encerraram uma greve de 24 horas na última quarta-feira (22), depois de terem conseguido dois meses de estabilidade no emprego para todos os que permanecem na fábrica, além do pagamento do dia de paralisação. A proposta da empresa foi aprovada em assembleia realizada nesta terça-feira (21). 

A greve foi uma resposta às demissões de 420 trabalhadores ocorridas na sexta-feira (18) e ao pedido de recuperação judicial feito pela empresa. O sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região informou que a luta pela volta de todos os trabalhadores continua, uma vez que a Avibras se recusou a cancelar as demissões. 

Os trabalhadores demitidos saíram em passeata na manhã de terça-feira, como parte das ações para reverter as demissões. O sindicato ingressou com uma ação civil pública na Justiça do Trabalho para suspender todas as demissões e solicitou uma reunião com os governos federal, estadual e municipal para discutir a estatização da Avibras, que é considerada uma empresa estratégica para o país.

A Avibras é uma empresa brasileira que atua no setor de defesa e segurança, desenvolvendo e produzindo sistemas e equipamentos militares avançados, como mísseis, foguetes, veículos aéreos não tripulados e sistemas de artilharia. Existem diversas razões pelas quais a Avibras pode ser considerada uma empresa estratégica. Primeiro, ela é importante para a defesa nacional, fornecendo equipamentos e sistemas importantes para as Forças Armadas brasileiras, ajudando a proteger a soberania nacional e a garantir a segurança do país.

Segundo, a empresa possui uma equipe altamente qualificada de engenheiros e técnicos, que desenvolvem tecnologias avançadas em áreas como aerodinâmica, eletrônica, controle e propulsão. Essas tecnologias são essenciais para a produção de equipamentos militares eficazes e confiáveis.

Ainda, a Avibras é reconhecida internacionalmente como uma das principais empresas do setor de defesa na América Latina. A empresa já exportou seus produtos para vários países, incluindo Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos e Malásia.

Ainda, como uma empresa que já empregou mais de 1.500 pessoas em suas instalações em São Paulo e Santa Catarina em determinado momento, um projeto de impulsionamento da empresa seria importante também para gerar empregos. A empresa possui uma cadeia de fornecedores e parceiros de negócios em todo o país, contribuindo para o desenvolvimento econômico e tecnológico do Brasil.

É preciso apoiar a estatização da Avibras e defender a estatização dessas empresas como parte de uma política mais ampla de nacionalização dos principais setores da economia brasileira, sob controle estatal e popular. Desta forma, o Brasil pode ter controle de sua soberania nacional e militar. A estatização de empresas como a Embraer, Petrobrás, Eletrobrás e outras, é necessária para proteger os interesses nacionais e garantir o acesso dos trabalhadores e da população aos serviços essenciais.

Por exemplo, as privatizações de Petrobras e Eletrobras são responsáveis pelo aumento dos preços dos combustíveis e da energia elétrica, respectivamente, além de enfraquecer a soberania nacional. No caso da Embraer, é preciso se colocar absolutamente contra sua privatização, especialmente após a empresa vender parte de sua divisão de aviação comercial para a multinacional norte-americana Boeing. A empresa é estratégica para a indústria aeroespacial e de defesa do Brasil, e sua estatização seria uma forma de preservar a capacidade tecnológica e de inovação do país, bem como garantir empregos e direitos trabalhistas. 

Essa privatização, assim como de outras empresas estatais, tem contribuído para o enfraquecimento da soberania nacional e para o aumento da dependência externa. Nesse sentido, a estatização da Embraer seria uma forma de proteger os interesses nacionais e de garantir o desenvolvimento econômico e social do país.

Os trabalhadores devem pressionar o governo Lula, nas ruas, para estatizar todas as empresas importantes para a economia nacional e o povo brasileiro. Lula foi eleito pelo povo em uma das eleições mais polarizadas da história. Por isso, deve se apoiar no povo para realizar um programa popular contra a direita golpista (fora e dentro do governo).

Gostou do artigo? Faça uma doação!

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.