2022

Em crise, Alemanha a maior fuga de capital de sua história

O Instituto Econômico Alemão publicou um relatório em que colocou a Alemanha como o país que mais saiu a perder em termos de investimentos no ano passado

O Instituto Econômico Alemão publicou um relatório em que colocou a Alemanha como o país que mais saiu a perder em termos de investimentos no ano passado.

A Alemanha teve em 2022 a maior saída de capital já registrada no país, com um recorde de US$ 132 bilhões (R$ 641,11 bilhões) de investimento direto deixando a maior economia da União Europeia naquele ano, informou na quarta-feira (28) um relatório.

De acordo com os dados do Instituto Econômico Alemão (IW, na sigla em alemão), a Alemanha encabeçou a lista dos países que mais perderam investimentos no ano passado, seguida pelo Japão, com uma saída de US$ 129 bilhões (R$ 626,54 bilhões), e pelo Reino Unido, com uma saída de US$ 116 bilhões (R$ 563,4 bilhões).

O relatório observa que 60% do capital alemão fluiu para a Zona do Euro e cerca de 10% para outros países da União Europeia, enquanto a Ásia e as Américas receberam, cada uma, 14% do dinheiro das empresas alemãs.

“Os números são alarmantes: na pior das hipóteses, esse é o início da desindustrialização”, alertou o IW. Além dos altos preços da energia, foram mencionadas como outras razões para a perda de atratividade dos investimentos na Alemanha a falta de trabalhadores qualificados e o aumento do protecionismo, marcado pela Lei de Redução da Inflação dos EUA, que visa atrair mais investimentos para o país norte-americano.

De acordo com o estudo, a tendência negativa começou com a pandemia e foi agravada pela crise energética na Europa, desencadeada pelas sanções ocidentais contra a Rússia.

Christian Rusche, economista da IW, destacou que muitos dos problemas existentes são domésticos, incluindo altos impostos corporativos, burocracia excessiva e a infraestrutura em ruínas.

“O governo federal precisa urgentemente tomar contramedidas para garantir que a Alemanha volte a ser o primeiro endereço para investimentos estrangeiros no futuro”, argumentou ele.

Na semana passada, o Instituto Ifo alemão, em Munique, previu que a recessão na Alemanha será mais profunda neste ano do que o esperado, com uma queda do PIB estimada em 0,4%.

Tal acontece após as sanções abrangentes impostas por países ocidentais, incluindo europeus, contra a Rússia, por ter começado a operação militar especial na Ucrânia. A maior parte das previsões econômicas para 2023 apontam para um crescimento de ou perto do zero.

Fonte: Sputnik

* Os artigos aqui reproduzidos não expressam necessariamente a opinião deste Diário

Gostou do artigo? Faça uma doação!

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.