"Unilateralismo"

Contra o imperialismo, Etiópia faz pedido de adesão aos BRICS

O Ministério das Relações Exteriores informou sobre a vontade do país africano de aderir ao bloco, com o embaixador da Etiópia a enumerar as vantagens desse passo

O Ministério das Relações Exteriores informou sobre a vontade do país africano de aderir ao bloco, com o embaixador da Etiópia a enumerar as vantagens desse passo.

A Etiópia solicitou sua adesão ao BRICS, informou na quinta-feira (29) o jornal etiopiano The Reporter, citando Meles Alem, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores do país.

“Nós nos candidatamos a membro do BRICS e esperamos um bom resultado. Como buscamos garantir nossos interesses nacionais, é importante participar de blocos como o BRICS”, disse o diplomata.

O BRICS, formado em 2006, é composto pela África do Sul, Brasil, China, Índia e Rússia. A Arábia Saudita, Argélia, Argentina, Bangladesh, Egito, Irã, Indonésia e Turquia também já expressaram seu desejo de participar do bloco econômico.

Cham Uriat, embaixador da Etiópia na Rússia, disse que a adesão não implica oportunidades somente “em uma perspectiva econômica”.

“Acho que há um aspecto político nisso porque, se observarmos o mundo atual, veremos que o multilateralismo está sendo ignorado, e que há algumas poucas nações poderosas, militar ou economicamente, que dominaram o mundo e impuseram seus interesses a outras chamadas nações grandes“, opinou Uriat.

“Acho que muitos países agora querem recorrer ao multilateralismo, para garantir que esse multilateralismo esteja funcionando bem, porque se resolvermos as questões do mundo juntos, sem interferência nos aspectos internos de outros países, acho que essa será a saída no futuro”, comentou.

O representante do país africano afirmou ver vantagens de sua participação na organização.

“Portanto, o BRICS, penso, é um bloco, quando você vê a população em si, a população mundial e as economias mais rápidas do mundo hoje se encontram nos países desse bloco. Portanto, acho que é natural que outras nações trabalhem com um certo tipo de dinâmica da organização, porque ela não está se beneficiando apenas economicamente, os valores e o princípio do multilateralismo estão dentro dela, e eles a apoiam. Eles têm a salvaguarda disso.”

“Não precisamos mais do unilateralismo. Acho que muitas nações não querem isso, então as nações do BRICS estão promovendo isso para voltar aos valores e princípios do multilateralismo e promover o crescimento econômico para os países menos desenvolvidos, e para tornar o desenvolvimento do mundo mais equilibrado. Assim, a intenção da Etiópia também é trabalhar em conjunto com as nações do BRICS, e espero que no futuro também nos juntemos a eles. Por que não?”, concluiu.

Fonte: Sputnik

* Os artigos aqui reproduzidos não expressam necessariamente a opinião deste Diário

Gostou do artigo? Faça uma doação!

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.