Terremoto na Síria e Turquia

Catástrofe no Oriente Médio

Países devastados pelo imperialismo agora sofrem com novos desastres naturais

Mais uma vez uma “catástrofe natural” destruiu milhares de vidas em um mundo onde não precisamos mais ser reféns das forças da natureza.

Na madrugada da última segunda  (06/02), um terremoto de magnitude 7,8 atingiu a Turquia e a Síria, deixando um saldo de mais de 5 mil pessoas mortas.

Além disso, informações do governo turco dão conta de que mais de dois mil prédios desabaram no país, dentre eles muitos museus e um castelo com mais de dois milênios de história, sendo ainda uma das áreas mais atingidas a região de Gaziantep ,centro industrial da Turquia.

Os terremotos na região não são uma novidade; em janeiro de 2020 na província de Elazig um sismo de magnitude 6,8 matou cerca de 40 pessoas.

O território turco, segundo estudos, se encontra em uma região reconhecidamente arriscada, “sobre o encontro de duas placas tectônicas, uma espécie de bloco que flutua sobre o manto, uma das camadas no interior da Terra”. As placas podem se mexer, de forma divergente (movendo-se em direções contrárias), convergente (chocando-se uma contra a outra) e transformante (movendo-se lateralmente); os dois últimos movimentos costumam causar terremotos”, estando entre os países mais vulneráveis a terremotos do mundo.

Portanto, assim como as enchentes que ,no Brasil, todo ano tiram milhares de vidas, não podem ter sua culpa atribuída à chuva, as consequências dos tremores de terra no Oriente Médio também não são de responsabilidade exclusivamente da natureza.

O domínio imperialista no mundo e em particular no Oriente Médio impede que essa região se desenvolva e usufrua de tecnologia para pelo menos minimizar bastante os danos de desastres naturais como esse. O Japão, por exemplo, é outro país bastante suscetível a terremotos, mas como um país imperialista consegue se proteger desses desastres, então por que na Turquia ou na Síria isso não seria possível? Só não é possível porque o imperialismo parasita os países pobres , sucateando toda a sua infra estrutura.

A Síria é um exemplo perfeito para isso, porque o país sofre embargos econômicos há décadas por parte do imperialismo, e desde 2011 vive uma guerra por procuração do imperialismo, que destruiu toda a infraestrutura do país, incluindo a estrutura sanitária. É por esse motivo que mais de mil sírios já morreram após o terremoto desta semana. O imperialismo tem culpa direta no cartório.

Para que a natureza deixe de ser um problema, é preciso acabar com a ditadura imperialista no mundo.

Gostou do artigo? Faça uma doação!

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.