EUA

Anielle Franco vai aos EUA firmar acordo “antirracista”

Com a desculpa de ajudar a resolver questões raciais nos EUA, Anielle Franco faz visita ao país e aprofunda intervenção imperialista

Na última quarta-feira (03), a Ministra da Igualdade Racial do governo Lula, Anielle Franco, publicou, em seu Twitter, que estava indo para os Estados Unidos.

A ida, em conjunto com a ministra dos EUA na ONU, Linda Thomas-Greenfield, se deu em conjunto com o anúncio da retomada do projeto Japer (Joint Action Plan to Eliminate Racial and Ethnic Discrimination and Promote Equality), o “acordo de cooperação bilateral que tem como objetivo a eliminação da discriminação racial e étnica nos dois países”, conforme o portal de notícias Mundo Negro.

“O presidente Biden me escolheu para ser a face dos Estados Unidos nas Nações Unidas. Estamos aqui em Salvador, o coração do Brasil negro, porque essa cidade representa tanto o passado de racismo quanto o futuro otimista que queremos”, afirmou Linda Thomas-Greenfield.

“É muito histórico o que a gente já tem feito. Um acordo que foi assinado em 2008, que fica parado, mas que tem muita potência para crescer e para transformar vidas de muitas pessoas negras”, disse Anielle Franco.

“O encontro com a Representante Especial para Igualdade Racial e Justiça do departamento de Estado Americano foi importante para selar a retomada do Japer como acordo de cooperação que prevê parcerias técnicas, transferência de tecnologia e investimento em ações e programas coordenados pelo MIR que atuem na promoção de mecanismos de justiça e oportunidade para a população negra”, contou Anielle ao Mundo Negro em fevereiro, ao se encontrar com a Representante Especial de Estado para Justiça e Igualdade Racial do Departamento de Estado Americano, Desirée Cormier Smith para selar a retomada do Japer.

É impressionante como, independente de quanto tempo passe, a esquerda pequeno-burguesa não consegue perceber a ameaça do imperialismo ao Brasil, bem como não consegue ver as toneladas de demagogia que habitam em todas essas ações.

O identitarismo é uma das maneiras do imperialismo de se infiltrar na esquerda pequeno-burguesa e qualquer tipo de conciliação que o envolva deve ser vista com desconfiança. De todos os problemas que podem ser observados tanto nos Estados Unidos quanto no Brasil, qual a diferença de uma ou outra política racial?

Finalmente, o país que mais prende pessoas negras no mundo, os Estados Unidos, quer dar uma lição ao Brasil sobre como combater o “racismo”. Termo que, inclusive, não possui grande valor já que, para a esquerda pequeno-burguesa, por exemplo, é muito mais importante lutar pela censura que pelo fim das polícias para acabar com o “racismo”. Uma política que não leva em consideração a real situação do negro no Brasil e que é, como fica mais claro agora, diretamente importada dos Estados Unidos.

O que devemos observar é que esse tipo de interação, sobretudo vinda dos EUA, é muito suspeita. Não é como se o país imperialista não tivesse histórico de sabotar e de fazer com que países pobres se submetam a ele, econômica e politicamente. E uma das maneiras de fazê-lo é justamente por meio de seus agentes infiltrados no País.

Isso se torna ainda mais importante na medida em que o atual governo Lula tende a comercializar com a China e esteja bem mais à esquerda do que todos os governos anteriores em questão de política externa.

Os EUA estão perdendo seu poder externo e vão fazer de tudo, mesmo nos mais pequenos espaços, para tentar manter as boas maneiras. Não só isso, mas a esquerda pequeno-burguesa também se recusa a ver esse fator, criando cenas ridículas como essa de Anielle Franco, que vai se divertir nos Estados Unidos com a ilusão de que a sua interferência vai ter alguma importância real na vida de alguém, seja nos EUA ou no Brasil.

Gostou do artigo? Faça uma doação!

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.