Por quê estou vendo anúncios no DCO?

Izadora Dias

Izadora Dias é militante do Partido da Causa Operária em São Paulo, coordenadora do coletivo João Cândido e integrante da secretaria de organização do PCO. É militante anti-imperialista e anti-identitária. É estudante da USP e, além de colunista do Diário Causa Operária, participa do programa matinal da Causa Operária TV, o Reunião de Pauta, às sextas-feiras.

O negro no cinema

A vida imitará a arte?

Deixar de apresentar a verdadeira situação da população negra em filmes, não mudará a realidade

Em um artigo da Carta Capital, dois atores de uma série da Netflix, em entrevista defendem que é preciso parar de matar negros nos filmes. Os dois jovens chegaram a essa conclusão, não sem terem sido influenciados pelo identitarismo, após receberem mensagem de pessoas que assistiram a série e ficaram abaladas devido ao  personagem interpretado por um dos atores ser assassinado. Para eles, o fato de negros deixarem de ser apresentados como traficantes, por exemplo, mudaria até o quadro de diretores e produtores de séries, que é majoritariamente formado por brancos.

Esse é um pensamento esdrúxulo. Se o negro não for mais assassinado nos filmes, a realidade dele irá mudar? Claro que não. A arte apenas imita a vida. O negro, na vida, na realidade, é assassinado todos os dias. Deixar de representar essa realidade nas telas de cinema não vai modificá-la em nada. Vai, no máximo, escondê-la. Ou seja, vai servir ao sistema de opressão contra os negros. Vai impedir que ao menos seja denunciado e exposto  o que o negro sofre nos “bastidores”.

A questão fundamental é que dadas as condições reais do negro na sociedade capitalista, a vida não teria como imitar a arte. A realidade se impõe e o negro vive numa realidade absurdamente violenta, resultado de uma sociedade de classes. E é a maior vítima da polícia militar, por exemplo. O braço armado do estado burguês age sistematicamente contra os negros, maioria da população pobre, para mantê-los sob controle e não se revoltarem contra a burguesia.

Por isso, podem apagar todas as cenas de violência contra o negro, podem nunca gravar mais nada. Porque enquanto essa for a realidade, o negro será a maior vítima do estado burguês, que não só assassina, mas mata pela exploração do trabalho, pela fome, pela falta de saneamento básico, moradia e  tantas outras desgraças promovidas pela burguesia contra as massas.

Infelizmente, devemos revelar um segredinho aos identitários, idealistas: a vida não imita a arte. E é precisa modificar a realidade partindo dela.

Artigo publicado, originalmente, em 13 de dezembro de 2021.

* A opinião dos colunistas não reflete, necessariamente, a opinião deste Diário

Gostou do artigo? Faça uma doação!

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.