Dia de Hoje na História

9/12/1946: começa o “Julgamento dos Médicos” em Nuremberg

Os julgamentos de Nuremberg, no entanto, pouparam diversos nazistas importantes para o governo de Hitler, recrutados pelo imperialismo

Começou, em 9 de dezembro de 1946, o Julgamento dos Médicos (oficialmente, EUA contra Karl Brandt), o primeiro de 12 julgamentos por crimes de guerra de funcionários importantes e industriais alemães que as autoridades norte-americanas realizaram em Nuremberg, Alemanha, à época uma zona de ocupação dos EUA.

Feitos perante tribunais militares dos EUA, as audiências ocorreram nos mesmos locais do Palácio da Justiça, conhecidos coletivamente como os “subsequentes julgamentos de Nuremberg”, formalmente os “Julgamentos de Criminosos de Guerra perante os Tribunais Militares de Nuremberg” (NMT).

Dos 23 réus, 20 eram médicos acusados de envolvimento com experimentos humanos feitos pelos nazistas e assassinato em massa sob o disfarce de eutanásia. A acusação foi apresentada em 25 de outubro de 1946; o julgamento durou até 20 de agosto de 1947 e teve sete absolvidos. Sete receberam sentenças de morte e os demais receberam penas de prisão que variaram de 10 anos à prisão perpétua.

Os magistrados que compuseram o Tribunal Militar I foram Walter B. Beals, oriundo de Washington e atuando como juiz presidente, Harold L. Sebring, representando a Flórida, e Johnson T. Crawford, proveniente de Oklahoma. O juiz suplente foi Victor C. Swearingen, que anteriormente havia exercido a função de assistente especial do Procurador-Geral dos EUA. Telford Taylor desempenhou o papel de Chefe do Conselho para a Acusação, enquanto James M. McHaney atuou como principal promotor. Em sua declaração inicial, Taylor resumiu os delitos atribuídos aos réus.

“Neste caso, os acusados enfrentam imputações de assassinato, tortura e outras atrocidades perpetradas em nome da ciência médica. As vítimas desses crimes somam centenas de milhares. Apenas um pequeno grupo ainda sobrevive; alguns desses sobreviventes testemunharão neste tribunal. No entanto, a maioria dessas vítimas desafortunadas foi morta imediatamente ou faleceu durante as torturas às quais foram submetidas. Em sua maioria, são indivíduos sem nome. Para aqueles que as assassinaram, essas pessoas desafortunadas não eram vistas como indivíduos; eram tratadas em massa e submetidas a tratamentos piores do que os dispensados aos animais.”

Os julgamentos de Nuremberg, no entanto, pouparam diversos nazistas importantes para o governo de Hitler, recrutados pelo imperialismo para trabalhar em órgãos norte-americanos e também no serviço secreto israelense Mossad, caso emblemático de Otto Skorzeny, que a serviço dos israelenses, assassinou ex-colegas.

Cabe ressaltar também que os crimes pelos quais os médicos nazistas foram julgados estão sendo cometidos desenfreadamente pelo Estado judeu de “Israel” contra a população palestina. De maneira mais precisa, a ocupação está cometendo atrocidades muito mais sanguinolentas que a Alemanha nazista fez.

Gostou do artigo? Faça uma doação!

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.