Dia de Hoje na História

07/12/1970: Embaixador suíço é sequestrado por militantes da VPR

Embaixador foi sequestrado por grupo liderado por Carlos Lamarca que reivindicava libertação de presos políticos

Foi no dia 7 de dezembro de 1970 que guerrilheiros da Vanguarda Popular Revolucionária (VPR), comandados por Carlos Lamarca e Gerson Theodoro de Oliveira, sequestraram o embaixador suíço Giovanni Bucher. Em atuação no Brasil há quatro anos, o suíço foi sequestrado na Rua Conde de Baependi, no bairro do Flamengo, na zona sul do Rio de Janeiro.

A ação, que completa 53 anos nesta quinta-feira (7), teve como principal reivindicação a libertação de 70 presos políticos. A VPR também exigia o congelamento geral dos preços por noventa dias, já que o ano de 1970 fechou com uma inflação de 19,3%, conforme aponta o trabalho “Inflação Brasileira – Os Ensinamentos desde a Crise dos Anos 30”, publicado pelo professor-titular do Departamento de Economia da Universidade de Brasília. Importante destacar ainda que a década em questão encerrou com a inflação catastrófica de 80%. Para se ter uma ideia do impacto social, no ano de 2022 a inflação somou 5.79% e o peso dela foi sentido no bolso dos trabalhadores.

Outro adendo nas reivindicações era a liberação das roletas nas estações de trem do Rio de Janeiro. Bucher foi liberado somente no dia 16 de janeiro com as exigências atendidas (em partes, já que o governo militar do país endureceu e não cedeu de pronto aos pedidos) e o sequestro político é considerado o mais longo da história do Brasil.

Ponto que é importante ser observado e que tem se repetido na história recente é que naquele período Lamarca e outros revolucionários foram tachados pela polícia e imprensa como terroristas.

O mesmo tem ocorrido em relação ao ataque de Israel contra a Palestina, onde tanto o governo brasileiro quanto a própria esquerda pequeno-burguesa seguem uma política repressiva em relação ao partido Movimento Resistência Islâmica (Hamas) e tratado seus militantes como terroristas. No entanto, é importante salientar que diante de todos os ataques feitos por Israel nas últimas décadas, a resposta do grupo se assemelha, e muito, ao ato realizado pelo grupo revolucionário brasileiro VPR na década de 70.

Deste modo faz-se necessário, observarmos o passado, para reavaliar o presente. Fica claro que nominar o Hamas como um grupo terrorista é um tiro no pé e essa política, tanto por parte do governo, imprensa, mas, sobretudo, da própria esquerda, tem deve abandonada.

Gostou do artigo? Faça uma doação!

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.