Por quê estou vendo anúncios no DCO?

Ato em apoio à Rússia

Veja o documento entregue ao embaixador russo pelos manifestantes

Documento foi entregue na embaixada em Brasília


Nessa terça-feira, dia 1º de março, foram realizados atos em apoio à Rússia, contra o imperialismo, em frente aos consulados russos em São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre e Belo Horizonte e na embaixada russa em Brasília.

Os atos foram convocados pelos companheiros do PCO e contou com a participação de companheiros de outras organizações e independentes. Em Brasília, os manifestantes entregaram um documento oficial com as posições do PCO em apoio à Rússia que deve chegar às mãos do embaixador.

O documento é a Nota Oficial do PCO publicada na semana passada, no início dos conflitos na Ucrânia. Leia abaixo, na íntegra, o documento, ou clique no link para abrir a Nota Oficial.

https://pco.org.br/2022/02/24/pco-declara-apoio-total-a-acao-da-russia-na-ucrania-%EF%BF%BC/

PCO declara apoio total à ação da Rússia na Ucrânia

  1. O governo russo deliberou reconhecer as repúblicas separatistas do Donbass e declarou ter como objetivos em relação ao conjunto da Ucrânia: 1) liquidação da tentativa da organização militar imperialista OTAN de militarizar a Ucrânia, 2) liquidação da presença da OTAN na estrutura militar ucraniana, 3) a desnazificação da Ucrânia, 4) proteção das repúblicas separatistas diante dos ataques das milícias nazistas e das forças regulares da Ucrânia.
  2. Para a consecução destes objetivos as forças armadas russas ocuparam toda a região de Donbass, onde ficam as Repúblicas de Donetsk e Lugansk e destruíram 74 alvos militares das forças armadas ucranianas. O governo russo lançou também uma ordem para respeitar os soldados ucranianos, que estão abandonando o combate em massa, com a consideração de estarem sendo obrigados a combater por um juramento ao seu País. As forças armadas russas lançaram também uma operação para esmagar as milícias nazistas que deram o golpe da praça Maidan em 2014, estabelecendo o atual regime, uma ditadura pró-imperialista contra o povo ucraniano.
  3. Coincidimos plenamente com a declaração do governo chinês no sentido de que o governo do presidente Joe Biden e os EUA são os verdadeiros responsáveis pelo atual conflito no Leste da Europa, ao tentar fazer do povo da Ucrânia carne de canhão de seus planos expansionistas e imperialistas.
  4. O que temos aqui não é uma guerra da Rússia contra a Ucrânia, o que está acontecendo é um conflito entre uma nação ameaçada e o imperialismo mundial, onde a nação ucraniana entrou infelizmente como instrumento do imperialismo.
  5. Sobre a questão da existência de guerras justas, Gregory Zinoviev, o primeiro presidente da Internacional Comunista disse: “Sim (existem), mas apenas em dois casos. O primeiro caso seria o da guerra do proletariado que tenha triunfado em um país, e que defenda o socialismo contra outros Estados que representam o regime capitalista. O segundo – uma guerra da China, Índia ou países semelhantes que são oprimidos pelo imperialismo de outras terras e estão combatendo por sua independência contra estas potências imperialistas”.
  6. As alegações de que a Rússia seria um país imperialista em pé de igualdade com os EUA, Europa e Japão são cômicas. O papel econômico da Federação Russa no mercado mundial não é mais do que o de um grande fornecedor de matérias primas brutas para os países imperialistas. A confusão se dá por que historicamente, a Rússia, desde o império russo, se constituiu num país armado em função das suas necessidades de defesa. Isso se manteve durante os anos da União Soviética e se mantém até hoje.
  7. A classe operária mundial deve se colocar sempre, em conflitos do imperialismo com países oprimidos por este, de uma maneira clara e ativa ao lado destes últimos independentemente do caráter do regime político e do governo destes países. É uma farsa propagandística a ideia de que estamos diante de uma luta entre a democracia e autocratas, o que temos aqui é uma luta entre os povos e países oprimidos e o imperialismo. Esta é a verdadeira essência do conflito. Isto é o que vimos no caso do Iraque, no caso do Afeganistão, Panamá, Irã, Granada, Iugoslávia, Líbia, Síria, Iêmen, Líbano, Palestina e tantas outras aventuras militares do imperialismo e de governos controlados por ele.
  8. Todas as lutas contra o imperialismo são lutas de libertação nacional. Todas as guerras contra o imperialismo ou países por eles controlados são guerras de libertação nacional. O imperialismo, que impõe uma ditadura mundial, não pode alegar atualmente que suas guerras sejam de caráter democrático ou defensivo. As guerras onde o imperialismo está envolvido são todas guerras coloniais.
  9. Repudiamos de maneira veemente a conduta do governo brasileiro que se posicionou, como sempre tem feito, como um governo lambe-botas do imperialismo mundial.
  10. A maioria da esquerda pequeno-burguesa brasileira apoiou o golpe na Ucrânia a pretexto de que seria uma revolução popular, mesmo sabendo que as milícias nazistas eram a linha de frente deste golpe, agredindo a classe operária ucraniana. Agora procura se esconder atrás de uma impossível neutralidade, que mal disfarça que vai passivamente a reboque do imperialismo. A ideia absurda de que o imperialismo defenderia as mulheres, negros e outros oprimidos é a via pela qual esta esquerda se transformou numa correia de transmissão do imperialismo dentro do seu próprio país.
  11. Reivindicamos:
    1. a retirada das tropas da OTAN de toda a Europa;
    2. desmantelamento das bases americanas em todos os países;
    3. fim dos acordos de submissão militar do Brasil ao imperialismo;
    4. restituição imediata da Base de Alcântara ao Estado nacional brasileiro;
    5. fim dos embargos imperialistas genocidas contra todos os países;
    6. defesa de Cuba, Nicarágua e Venezuela diante da agressão imperialista;
    7. que o Brasil reconheça imediatamente as Repúblicas Populares de Lugansk e Donetsk;
    8. Fora Bolsonaro, governo capacho do imperialismo. Fora a infiltração imperialista no Brasil como vista tanto na operação Lava Jato quanto no financiamento da atividade golpista, por órgãos como a Fundação Ford, a Fundação Open Society, o National Endowment For Democracy (NED) e think thanks como a Global Americans, etc.
    9. Comissão Executiva do Comitê Central Nacional do Partido da Causa Operária

24 de fevereiro de 2022

Gostou do artigo? Faça uma doação!


COTV

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.