Por quê estou vendo anúncios no DCO?

Entenda

Por que o PCO não apoia o Haddad em São Paulo

"Nós lutamos pela revolução proletária, não pelo mau menor"


Rui Costa Pimenta, presidente do Partido da Causa Operária explica o porquê do PCO não poiar a candidatura de Fernando Haddad ao governo de São Paulo,além dos princípios programáticos e resolução da militância representados por mais de 100 delegados em conferência nacional realizada nos dias 6 e 7 deste mês presencialmente na cidade de São Paulo:

Durante o programa Análise de 3a na rádio, em meio as perguntas uma simpatizante questionou o Rui sobre a posição de “não apoio” ao Haddad em São Paulo, veja a resposta:

Companheira – “Rui, no Twitter estão atacando o PCO por causa do não apoio ao Haddad em São Paulo, poderia explicar melhor essa política do partido por gentileza?”

Rui Costa Pimenta: ” Primeiro é uma vergonha atacarem o PCO por causa do Haddad, porque nós estamos apoiando o Lula com muito mais intensidade do que a maioria do pessoal do PT. É uma vergonha você atacar uma pessoa, um partido que está defendendo o seu candidato atual a presidência da República. Ele é candidato do PT não é candidato do PCO, então sobre isso aí, nós temos que fazer alguns esclarecimentos:

Primeiramente, o primeiro ponto que nós temos que esclarecer é o seguinte, o PCO só vota em candidato do PCO, a nossa política é essa daí. Excepcionalmente, diante de determinadas situações muito excepcionais, e de determinado tipo de candidato, nós votamos em candidato de outro partido, que lógicamente vai ser de esquerda e os candidatos que têm relação com a classe operária, mas isso é uma coisa muito excepcional.

Os partidos comunistas em geral, não votavam em outros partidos, isso inclusive é uma coisa que faz parte do morfismo político. O normal é, você tem o seu partido e você vota no seu partido e ponto final. Então por exemplo, já o fato da gente tá votando no Lula é uma grande coisa, porque a gente não faz isso daí normalmente, não normal isso. Normal não é votar no candidato do PT, do PCdoB, do PSOL, a gente não vota!

A eleição pra nós é um momento em que você faz a propaganda de um programa, nós estamos na eleição na luta por uma programa, nós estamos na eleição principalmente na luta por um programa, não estamos pra eleger ninguém, nem os nossos nem os outros. Então antes de qualquer coisa o pessoal devia pensar isso daí. Nós não temos compromisso de votar em candidato nenhum de partido nenhum.

O segundo problema é a ideia que o pessoal tem de que você na eleição tem que escolher um candidato que é “menos ruim” do que o outro, isso é uma bobagem, é um raciocínio infantil, a gente já mostrou, é a famosa teoria do mau menor. Com essa teoria a esquerda do partido democrata que não queria votar nem na convenção, acabopu apoiando o Biden e acabou sendo engolida peli imperialismo norte americano.

Porque o Biden seria, teoricamente, o mau menor em relação ao Trump. Nós, logicamente não concordamos nem com a ideia de que ele seja um mau menor, na nossa opinião ele era um mau maior, mas enfim, mau maior ou mau menor, não é assim que você faz política. Você tem que ter um programa, você tem que ter um objetivo, você não pode sair por aí votando em qualquer candidato, por exemplo, a esquerda no Rio Grande do Sul, está votando no Eduardo Leite, que é um fascistinha, um fascistinha igual ou pior que o Bolsonaro.

Por que que você vai votar nesse cidadão? Porquê o outro candidato é Bolsonarista?

Não faz sentido isso daí, você fica refém de um mecanismo eleitoral que leva você para qualquer lugar. Então por exemplo, o pessoal acha estrenho que a gente não tá votando no Haddad, mas a gente também não votou no Boulos, a gente não vota em candidato que não tem relação com a classe operária. Eles são candidatos pequeno burgueses, ou seja, dizendo mais claramente, são candidatos burgueses, porque a pequena burguesia desse tipo, é parte da burguesia, eu não vou votar numa classe social oposta a nossa.

O Lula é um caso confuso, mas os trabalhadores, e isso pra nós é o mais importante, vêm ele como uma trabalhador. Vêm ele como um candidato operário, por isso que a gente vota no Lula. Não vamos sair votando em qualquer pessoa, não tem sentido pra nós lutamos pela revolução proletária, não pelo mau menor!

A esquerda sempre foi muito prejudicada por essa política do mau menor, e quando a esquerda conseguiu evoluir, foi porque ela saiu da política do mau menor, vou dar um exemplo aqui que para o Brasil talvez seja o exemplo mais importante.

Até a criação do PT, toda a esquerda, excetuando logicamente que era correspondente ao PCO na época, votava no MDB. Um partido que não só era burgues como era de direita, que era o partido de oposição consentido pela ditadura. O PCB, o PCdoB o MR8 e outras organizações de esquerda estavam dentro do MDB. Quando o Lula falou – Vamos contruir um partido de trabalhadores! – Esses partidos fizeram um campanha de calúnia dizendo o seguinte: – Isso aí é pra dividir a oposição. Tem que continuar votando nos candidatos do MDB! O Lula não ligou pra isso e criou o PT. Na eleição de 1982, foi a primeira eleição que o partido participou o Lula concorreu ao governo do estado de São Paulo e o MDB apresentou o Franco Montouro que foi efetivamente quem ganhou a eleição, contra o candidato da ditadura.

E havia uma pressão que era o seguinte, o Lula não devia sair candidato, devia votar no Franco Montoro, já pensou se o pessoal fosse trás disse aí? Você ficaria pra sempre votando nos candidatos direitistas. O PCO não é assim, nós temos um política, o PCO só não lançou candidato a presidente nesta eleição porque nós achamos que a situação era muito excepcional, inclusive, vamos deixar claro, possivelmente numa próxima eleição a gente lance candidato a presidente. Nossa ideia não é ficar votando no PT porque é PT ou Bolsonarismo, isso não é uma política séria, não existe, nós queremos construir um partido diferente do que o PT é. Nós temos uma atitude positiva, amigável diante do PT, principalmente neste momento que ele está numa luta contra a direita, mas nós não somos o PT e nós nunca, nem por acaso faríamos aliança com Geraldo Alckmin! Nada! Nem pra tirar o pai da forca, nem pra salvar a mãe do esquadrão de fuzilamente a gente fariaaliança com Geraldo Alckimin, nós estamos engolindo essa porcaria aí porque nós queremos votar no Lula, agora o pessoal tem que valorizar o esforço que nós estamos fazendo. PT atrai Janones, Simone Tebet, Meirelles, Alckmin, Márcio frança, faça o favor, não nos confundam, n´[os estamos engolindo em seco toda essa porcaria aí! E agora nós temos que engoliar a campanha da pedofilia, da campanha contra os homossexuais, estamo engolindo toda essa porcaria que está muito grande. O pessoal tem que olhar falar: – Olha, o PCO na verdade tá fazendo muito! não é que não estamos fazendo pouco, nós não votamos no Haddad por um motivo muito simples, o Haddad não é um candidato operário e isso pra nós é uma coisa muito fundamental.”

Assita o programana ítegra em :


COTV

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.