Por quê estou vendo anúncios no DCO?

País oprimido

Honduras, combater a pobreza

Mais de 73 por cento da população de Honduras estão mergulhados na miséria e 53 por cento vivem em pobreza extrema. Xiomara Castro está determinada a passar por cima disso


Rádio Havana Cuba Mais de 73 por cento da população de Honduras estão mergulhados na miséria e 53 por cento vivem em pobreza extrema. A presidente Xiomara Castro está determinada a dar a volta por cima, porque, como disse, não é possível que um país exista com tanta desigualdade.

Doze anos de políticas neoliberais, implementadas após o golpe de Estado de junho de 2009 contra o então presidente Manuel Zelaya, acabaram com os programas sociais, a atenção as áreas essenciais (educação e criação de empregos) o que levou a nação centro-americana a uma situação muito difícil, sem falar na elevada corrupção.

Conforme estudos, o trabalho informal e a falta de empregos bons e bem pagos contribuem para o aumento do índice de pobreza.

Honduras detém o mais elevado número de empregos informais na América Central nos últimos dez anos, o que se traduz em previdência social mínima para essas pessoas e a impossibilidade de obter empréstimos e instrumentos de poupança.

A Organização Internacional do Trabalho  estima que as pessoas que trabalham no mercado informal têm de duas a cinco vezes mais possibilidades de se acharem em situações de pobreza.

Um panorama agravado pela pandemia da Covid-19, a crise econômica mundial, os danos causados pelos furacões Eta e Iota de novembro de 2020 e a falta de compromisso do governo do ex-presidente Juan Orlando Hernández, que simplesmente ignorou as necessidades da população.

Por isso, uma das prioridades do novo governo hondurenho de Xiomara Castro é melhorar as condições de vida das famílias hondurenhas por meio de um programa integral chamado Rede Solidária, que conta com seis eixos de trabalho.

A iniciativa, que retoma a que tinha sido aplicada durante o governo de Zelaya, envolve 2.007 comunidades no território hondurenho, nas que serão melhoradas moradias e se garantirá a educação, totalmente abandonada durante mais de 10 anos, o que impede a capacitação da juventude e sua possibilidade de conseguir empregos bem remunerados.

Igualmente, receberão atenção as mulheres grávidas e se prestará atenção à desnutrição da população infantil, levando em conta que duas de 10 crianças padecem esse flagelo que ameaça sua vida e seu desenvolvimento físico e intelectual.

Sem dúvida, é uma imensa tarefa para o governo de Xiomara Castro, mas também é imenso seu compromisso com o povo de Honduras e seu empenho em oferecer melhores condições de vida aos seus compatriotas.

* Os artigos aqui reproduzidos não expressam necessariamente a opinião deste Diário

Gostou do artigo? Faça uma doação!


COTV

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.