Por quê estou vendo anúncios no DCO?

Intervenção

À la Guajajara, Marina Silva chora para John Kerry na COP 27

Ambientalista do George Soros cumpre o seu papel e atrai imperialismo para dentro da Amazônia


A deputada eleita por São Paulo, Marina Silva (REDE) fez ontem sua primeira participação oficial na COP 27. O presidente eleito Lula chegará ao Egito na próxima segunda-feira. Além da equipe de Marina Silva, governadores e representantes do agronegócio do governo Bolsonaro também estão no evento. Será que os grupos do atual e do futuro governo brasileiro falarão na mesma língua e negociaram nas mesmas bases com os parceiros internacionais? O protagonismo esperado de Lula e sua equipe será maior que o do grupo de representantes bolsonaristas?  Ou serão negociações paralelas, com destaque na imprensa para Lula, mas nos bastidores o agro, provavelmente, mantenha seus interesses protegidos e atuantes, enquanto nos  discursos oficiais falam de colaboração “técnico-científica” para um desenvolvimento da bioeconomia sustentável, proposta por Marina Silva? 

Em publicação no Twitter, a deputada brasileira publicou, orgulhosamente, que em conversa com John Kerry tratou de acordos técnico-científicos entre os dois países que seriam , em suas palavras, “muito vantajosos para o Brasil”. Ainda no Twitter, um vídeo com a fala de Marina Silva à Globonews revela mais alguns detalhes da conversa entre defensores da Amazônia.

Segundo ela, com a confirmação de que o presidente Lula se compromete com as questões ambientais e climáticas, “os investimentos virão”, pois os acordos em discussão  e futuros financiamentos norte-americanos seriam uma forma de o presidente dos EUA, Joe Biden, celebrar a “possibilidade de uma agenda muito mais aprofundada com o presidente Lula na área de técnico- cientifica e em outros esforços.” Devemos estar alertas e questionar quais “outros esforços” seriam esses: manter a floresta amazônica e seus povos? ajudá-los a se desenvolver economicamente? Certamente, não.

E quais seriam os interesses do coração pulsante do imperialismo? Talvez sejam os mesmos de outros países “verdes” europeus que financiam o Fundo Amazônia, Noruega e França. Fornecem todo o equipamento para monitoramento da região e de seus recursos naturais e “equipamentos sociais”, através de ONGs e entidades humanitárias.

Mesmo considerando a gravidade deste tipo de entreguismo protagonizado na COP 27, a parte “cômica” fica por conta da própria Marina Silva,  deslumbrada com sua interlocução com o “ídolo” estadunidense quando afirma que: “ Eu pedi a John Kerry que os Estados Unidos também possam participar do  aporte financeiro para o Fundo Amazônia. Ele respondeu que já estava em negociações com Noruega e França, devido a outros projetos em comum” . A brasileira afirma que o Fundo Amazônia é de acesso muito bom para pesquisa  e que “num caso de  emergência, de desmatamento, esses fundos possam ser usados no combate às queimadas, e para a ajuda de famílias em  situação de vulnerabilidade.” Será que os indígenas do Oeste da Bahia, do Pará, do Maranhão, de Roraima terão acesso às vantagens que os acordos com Kerry e o Fundo Amazônia trarão ao Brasil?

 Marina frisou seu “choro” a Kerry, reforçando a importância dessa participação. Seus pedidos de ajuda ao  presidente Biden, a quem ela parece reverenciar discretamente, são bem semelhantes aos de outra representante brasileira na COP27, Sônia Guajajara, quando ela pediu “ajuda” ( leia-se intervenção) a Washington para a resolução de problemas nacionais de competência exclusivamente brasileira. Abrem as portas para a “colaboração”  (leia-se intervenção) dos imperialistas.

O entreguismo  brasileiro tem várias faces. São amistosas e acolhedoras, colaborativas e ecológicas, tradicionais mas em dia com a tecnologia, às vezes usam cocares lindos, outras vezes, um simples coque e roupas cafonas. Elas entregam, de bom grado e com bom financiamento gringo, as riquezas nacionais. Assim como Sônia, Marina também cedeu aos encantos do imperialismo. Pedem elas aos maiores poluidores do mundo recursos para salvar o mundo da poluição e do desmatamento. Contraditório, com certeza. Mas é esse mesmo o espírito da agenda verde tão apreciada pelos ecologistas, como a própria Marina Silva.

O  melhor jeito de resumir a ópera foi a resposta de Rui Costa Pimenta ao post de Marina: 

Gostou do artigo? Faça uma doação!


COTV

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.