Por quê estou vendo anúncios no DCO?

Valéria Guerra

Jornalista (UMESP), historiadora, atriz com DRT-RJ, escritora, colunista do 247, PCO, e do meu site (https://guerraluz.prosaeverso.net/); mestre em Intervenção Psicológica no Desenvolvimento e na Educação; professora do Estado do RJ na cadeira de biologia, poetisa e ativista contra a desigualdade no Brasil e no mundo.

Coluna

Sociedade do deus-homem: servos, escravos e internautas

O belicismo é produtivo, vide as guerras com suas reconstruções

O meio ambiente foi recriado diversas vezes. O planeta está passando por sucessões inorgânicas e orgânicas.

O habitat humano, sua casa, está sob bombardeio peremptório. Há poucos fósseis para comprovar a linearidade evolutiva, o véu do capitalismo vela a realidade, com seu interesse comercial acima de tudo.

As narrativas que contam a história da humanidade, enquanto gênero Homo possuem vertentes filosóficas, religiosas, científicas, porém a verdade ainda está soterrada nos sítios arqueológicos inexplorados e nos livros queimados.

O belicismo é produtivo, vide as guerras com suas reconstruções.

Henrique tinha vinte e sete anos e acreditou na sociedade do deus-homem com suas falhas e interesses levianos camuflados e por fenóis. A vulgaridade e a vaidade se assenhorearam da mentalidade dos chamados “internautas”, ou melhor, “escravos cibernéticos”: pessoas que sob o condão do apego apaixonado são “encantadas” por toda sorte de mídias com conteúdo vulgar e/ou tosco, que vem tornando as mentes servis e de fácil manipulação.

A obstinação também é uma forma de escravidão: refletiu Judith Butler em “A vida psíquica do poder”.

Porém, nem todos são obstinados; o ecossistema social abriga espécimes segregados do tipo inconscientes. Fauna e flora naturais resistem a toda sorte ou antissorte de sujeições advindas do animal Homem.

A sociedade nacional em sua maioria não sabe que a mitologia é um tipo de história, com seus semideuses, deuses e mitos.

A população desconhece conceitos e retóricas, e, portanto, se deixa devorar por oportunistas de plantão, assim como a gazela saltitante e inocente, perante a sagacidade do leão.

Houve sempre um poder externo a nós, mas houve sempre o elemento resistência, como atributo negociador da alma humana. Ser um receptáculo passivo não precisa estar no script do ator social.

Rejeitar os ditames da tecnologia aliada à desumanidade “limitada cognitivamente” de uma maioria contemporânea é não ser este receptáculo passivo; já que até a Ética precisa ser criticada, segundo o filósofo Foucault.

Então caros leitores, reflitamos a partir dos próximos trechos para deixarmos de ser apenas receptáculos passivos.

“O Ministério da Fazenda está avaliando a proposta de modificar as regras orçamentárias para os setores de saúde e educação, visando alinhar o aumento dessas despesas ao limite de crescimento real do conjunto dos gastos federais, fixado em até 2,5% ao ano. Este estudo inclui a análise de mudanças nas regras para benefícios previdenciários específicos, como o auxílio por incapacidade temporária, que seriam ajustados para não seguir o salário mínimo. As informações foram reportadas inicialmente pela jornalista Adriana Fernandes, da Folha de S. Paulo.

Além do Ministério da Fazenda, liderado por Fernando Haddad, o Ministério do Planejamento, sob a gestão de Simone Tebet, está desenvolvendo propostas que serão apresentadas ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A mudança nas regras dos pisos constitucionais de saúde e educação, que atualmente crescem mais rapidamente do que outras despesas, é vista como necessária para a sustentabilidade fiscal. O piso da saúde corresponde a 15% da receita corrente líquida, enquanto o da educação é de 18% da receita líquida de impostos”.

E agora eleitor?

“Na mitologia grega, a Hidra de Lerna aparece como um monstro com corpo de dragão e várias cabeças de serpente. Quando uma de suas cabeças era cortada, outras apareciam em seu lugar.

Quem será a Hidra de Lerna na Sociedade do deus-homem?

* A opinião dos colunistas não reflete, necessariamente, a opinião deste Diário

Gostou do artigo? Faça uma doação!

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.