Por quê estou vendo anúncios no DCO?

Editorial

PSDB quer que esquerda brasileira siga o exemplo da França

Eduardo Leite, governador tucano do Rio Grande do Sul, saudou a vitória do que ele chama de "centro", ou seja, do neoliberalismo

Na última segunda-feira (8), Eduardo Leite (PSDB), governador do Rio Grande do Sul, afirmou que a eleição legislativa na França mostrou a força dos partidos centristas. “O centro protege a democracia, garante uma convivência melhor para todos. Essa foi a grande notícia e a maior lição da eleição na França”, disse o tucano.

Para Leite, o resultado do pleito ainda mostrou que “o centro está vivo e não vai morrer”. “Esse é o lugar em que as pessoas se reconhecem na sua humanidade, o respeito às diferenças. O centro é necessário para a democracia porque ele traz o equilíbrio”, afirmou.

As declarações do governador gaúcho são mais uma demonstração de que, diferente do que dizem alguns esquerdistas no Brasil e no mundo, não foi a esquerda que levou a melhor nas eleições do último domingo (7) na França.

Quando Leite saúda a vitória do “centro”, está saudando a vitória da política neoliberal, a vitória dos caquéticos partidos do regime político. No caso francês, setor representado tanto por Macron e sua coligação, quanto pelo Partido Socialista e seus satélites.

Muito diferente do que diz o tucano de maneira apaixonada, não se trata de uma força política do “equilíbrio” que “garante uma convivência melhor para todos”, mas de uma doutrina de destruição, uma doutrina que serve para arrancar tudo que pertence aos trabalhadores, em nome do lucro de meia dúzia de parasitas do capital financeiro.

Finalmente, a política neoliberal é a política de Macron, que destruiu a Catedral de Notre Dame, em Paris. É a política de Leite, que destruiu o Rio Grande do Sul por meio da maior catástrofe de toda a história do estado. Não há o que comemorar!

O que Leite quer quando destaca os resultados das eleições francesas é que o mesmo ocorra no Brasil. Quer a esquerda brasileira tal qual a francesa, representada principalmente, por Jean Luc Mélenchon, do França Insubmissa, a reboque da política do imperialismo e reabilitando os partidos do regime, que já estavam na cova. É por isso que o Partido Socialista mais do que dobrou seu número de cadeiras em relação às eleições passadas.

Nesse sentido, o sonho de Leite e, de maneira geral, da burguesia e do PSDB, é que a esquerda brasileira, com medo da ascensão da extrema direita, sirva para impedir que os partidos da direita tradicional morram. E, ao que tudo indica, os esquerdistas do Brasil seguirão o exemplo visto na França.

O resultado, entretanto, será o mesmo. Ao mesmo tempo em que darão mais alguns anos de vida para o setor decrépito da burguesia, impulsionarão ainda mais o crescimento da extrema direita.

Gostou do artigo? Faça uma doação!

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.