Oriente Médio

Como a resistência iraquiana burlou as defesas dos EUA

Um relatório do jornal Politico do dia 29 de janeiro detalhou como o drone que matou três soldados dos EUA no dia anterior conseguiu evitar detecção

Um relatório do jornal Politico do dia 29 de janeiro detalhou como o drone que matou três soldados dos EUA no dia anterior conseguiu evitar detecção ao seguir atrás de um drone dos EUA que estava retornando à base na Jordânia ao mesmo tempo.

O ataque, que ocorreu na base de ocupação da Torre 22, localizada na fronteira entre a Síria e a Jordânia, resultou na morte de três militares dos EUA e deixou pelo menos 34 feridos.

O Washington Post relatou que o drone atingiu os alojamentos na base, causando ferimentos que variaram de cortes, contusões e lesões cerebrais, algumas das quais exigiram evacuação médica.

A CNN descreveu a operação como “uma escalada significativa”, observando que não está claro por que as defesas aéreas falharam em interceptar o drone.

A Jordânia, uma aliada firme dos EUA, condenou o que chamou de “ataque terrorista” e expressou seu compromisso em trabalhar para aumentar sua colaboração com Washington para reforçar a segurança ao longo de sua fronteira.

Uma fonte citada pelo Politico disse que a resistência no Iraque viu uma “oportunidade” e a “explorou”.

Pouco depois da operação na Torre 22 ter ocorrido, um funcionário do Pentágono e um segundo funcionário dos EUA informaram ao Politico que a resistência lançou outro drone na base de ocupação dos EUA em Al-Tanf.

As tropas dos EUA conseguiram derrubá-lo usando um sistema aéreo não tripulado RTX Coyote.

Até o dia 26 de janeiro, havia ocorrido mais de 158 ataques contra as forças dos EUA e da coalizão liderada pelos EUA no Iraque e na Síria.

Mas esta operação em particular provocou uma onda de indignação nos EUA, com alguns funcionários importantes do governo pedindo ao presidente dos EUA, Joe Biden, que atacasse o Irã.

Biden culpou “grupos militantes radicalmente apoiados pelo Irã que operam na Síria e no Iraque“, referindo-se à resistência no Iraque, que anunciou, no início de janeiro, que intensificaria seus ataques depois que os EUA realizaram várias incursões no Iraque e assassinaram um oficial militar em Bagdá central.

O presidente dos EUA também reafirmou que as forças dos EUA estão agora “ainda reunindo os fatos deste ataque“, enfatizando que continuarão com seu “compromisso em combater o terrorismo”. “E não tenham dúvidas: responsabilizaremos todos os responsáveis no momento e de maneira que escolhermos”, disse.

Com informações da Al Mayadeen

Gostou do artigo? Faça uma doação!

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.