Uma mudança revolucionária

Proclamação da República foi parte da revolução brasileira

Imprensa capitalista dá corda em interpretações pseudo-críticas da História do Brasil que servem para desmoralizar a luta do povo

Nessa quarta-feira (15) completaram-se 134 anos da Proclamação da República. Como já é tradição na burguesia, em seus meios de comunicação, a história do Brasil é apresentada de uma maneira avacalhada. O UOL publicou um artigo chamado “Foi golpe? República no Brasil nasceu proclamada por militares e ‘sem povo'”, onde dá uma interpretação errada da história.

“Um golpe de Estado é um movimento brusco, rápido, em que um poder legitimamente constituído é retirado por uma outra força. A Proclamação da República não foi um movimento revolucionário, Dom Pedro II foi retirado à força do seu cargo”. A citação é do professor da História do Mackenzie, Wesley Santana.

Trata-se de uma confusão. Um golpe de Estado não necessariamente é um movimento impopular e não necessariamente não faz parte de um movimento geral da sociedade por trás dele. Na realidade, o correto é dizer que o golpe de Estado é a culminação de um movimento.

Esse movimento pode ser revolucionário. Por exemplo, na Revolução Russa, a tomada do poder pelos Bolcheviques foi uma espécie de golpe de Estado. Em sua superfície, a tomada do poder foi feita por poucas pessoas, mas por trás delas havia uma enorme mobilização, uma revolução que estava em curso.

Há, ainda, golpe que são apoiados nas amplas massas, ainda que elas não estejam efetivamente participando do processo. Por exemplo, o golpe que derrubou a Monarquia Egípcia em 1952 foi dado por um grupo de militares nacionalistas. Foi um golpe dado por um setor dos militares, mas que estava apoiado num movimento nacionalista que se desenvolveu por décadas. Embora não tenha ocorrido uma revolução propriamente, não há dúvidas que o golpe liderado por Nasser foi impulsionado por um movimento de características revolucionárias.

A Proclamação da República foi um golpe com características parecidas. Quado a imprensa capitalista diz que foi um golpe, ela dá a entender que estamos diante de um fenômeno como do golpe de 1964, quando na realidade são coisas muito distintas.

A Proclamação da República é precedida por décadas de um movimento de características revolucionárias que foi tomando corpo por décadas, ao menos desde o fim da Guerra do Paraguai, em 1870.

Havia de fato um movimento republicano que tinha características revolucionárias. Embora a participação dos militares fosse importante, também havia civis. O caráter revolucionário desse movimento fica claro pela ligação dos setores mais radicais com o abolicionismo.

Portanto, afirmar que a Proclamação não foi um movimento revolucionário é uma interpretação totalmente errada da história. E por que a burguesia incentiva esse tipo de análise? Por que é interessante não mostrar ao povo brasileiro que suas conquistas históricas são frutos da luta popular.

A afirmação de que o povo não participou também é confusa. É fato que não houve uma participação direta do povo na tomada de poder. Mas como dito acima, a Proclamação foi apoiada num movimento que já se estendia. A própria matéria do UOL admite que havia uma ampla propaganda republicana entre a população.

Citando outra professora, Heloísa Starling, da UFG, o UOL afirma: “O debate já era vigente e importante, com o traço mais avançado do republicanismo em alguns setores, ligado ao bem comum e à ideia de que a República traria um conceito novo de cidadania”.

Isso significa que a agitação republicana era intensa e se seguiu durante muito anos. Essa mobilização política foi o precedente da Proclamação.

Outro aspecto que não é citado é o sentido progressista da Proclamação. Ainda que tenha sido controlada por cima, é inegável que a República foi um passo importante para o desenvolvimento político, econômico e social do País. Nesse sentido, a Proclamação tem sim um caráter revolucionário.

Os fatos históricos são contraditórios por natureza. A burguesai tende a incentivar uma interpretação unilateral da história e dá corda em análise pseudo-críticas, mas que, no fundo, servem para reforçar um caráter pacífico que o brasileiro não tem.

A história brasileira é feita de inúmeras lutas revolucionárias, que resultaram em mudanças importantes no País. A Proclamação da República é, se dúvida, uma dessas mudanças. Ela é parte da revolução brasileira, afinal de contas, é óbvio que qualquer movimento revolucionário no Brasil teria muito mais dificuldade se ainda vivêssemos numa monarquia.

Proclamação da República: etapa revolucionária da história do Brasil

Gostou do artigo? Faça uma doação!

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.