Popularidade do Hamas aumenta na Cisjordânia

Por meio de um artigo publicado pelo The New York Times e traduzido por O Estado de S. Paulo – notórios inimigos da resistência armada palestina -,  o imperialismo admite sua impotência perante o Hamas e os demais grupos guerrilheiros. Com título “Na Cisjordânia, troca de prisioneiros entre Israel e Hamas aumenta o apoio ao grupo terrorista”, o texto mostra como o acordo de trégua conquistado pelo Hamas está sendo visto pela população da Cisjordânia, onde vigora o poder da Autoridade Palestina.

“O bombardeio de Gaza por Israel e a euforia pela libertação dos prisioneiros aumentaram o apoio ao Hamas na Cisjordânia ocupada por Israel, onde a Autoridade Palestina administra cidades e vilas há duas décadas”, afirma a reportagem.

O motivo é óbvio: a Autoridade Palestina, hoje controlada pela Fatah, é um agente do Estado de Israel no território palestino. A Autoridade Palestina não apenas não se envolveu no conflito contra os sionistas, como efetivamente tem reprimido os próprios palestinos. A traição ao próprio povo é tanta que os Estados Unidos vêm discutindo abertamente a possibilidade de depor o governo do Hamas na Faixa de Gaza e estabelecer um governo da Autoridade Palestina.

O acordo de trégua, que chegou ao fim na semana passada, permitiu que 180 prisioneiros palestinos fossem libertados. E o acordo, por sua vez, só foi possível por causa da iniciativa do Hamas, que tomou reféns israelenses e que vem combatendo, de armas na mão, as tropas de Israel.

O texto do The New York Times fala abertamente sobre a impopularidade da Fatah:

“A Autoridade Palestina – que é controlada pela facção política Fatah – é profundamente impopular e amplamente vista como uma subcontratada da ocupação israelense. As frustrações de longa data com a liderança da autoridade e as acusações de corrupção foram exacerbadas no ano passado por um aumento da violência por parte dos colonos israelenses”.

O artigo ainda explica que não só os habitantes da Cisjordânia são gratos ao Hamas, como, diante do retorno dos bombardeios, veem no grupo a única forma possível de obter proteção:

“Agora, como muitos na Cisjordânia temem que a guerra possa se espalhar para o território ocupado, alguns acreditam que o Hamas e outros grupos armados são os únicos em quem podem confiar para protegê-los”.

A reportagem ainda mostra, a partir do caso concreto de dois jovens, como o tratamento dado pelo Estado de Israel é arbitrário, repleto de torturas a presos e prisões ilegais. O tio de um dos jovens, ao comentar a atitude de Israel, ainda declarou, deixando claro o fracasso dessa política truculenta:

“Israel acha que está suprimindo ou destruindo a resistência. Mas veja o que eles estão fazendo. Eles só estão fortalecendo a resistência”.

Gostou do artigo? Faça uma doação!

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.